domingo, fevereiro 09, 2014

#10 - Arraste-me para o inferno (Drag me to hell), de Sam Raimi

Perdi a conta de quantas vezes eu vi Arraste-me para o inferno, mas sempre perdendo uma boa parte do filme por pegá-lo já na metade ou por ter de deixá-lo antes do fim - e é por isso que não assino canais de filmes a cabo, já que detesto assistir a filmes em doses homeopáticas. Domingão, nada para fazer, e pego o filme no começo na TV. Dessa vez fui até o fim - aliás, que fim!

Sam Raimi é figura querida entre os fãs do gênero. Tudo começou com A morte do demônio, de 1981. Um filme de baixo orçamento absurdamente bem feito, completamente diferente de tudo que havia sido feito até então. Era eletrizante, ousado, ligeiro, com doses certeiras de humor e sem tratar o espectador como um idiota inundando a tela com clichês. Seguiram-se outros dois filmes da franquia, então intitulados Uma noite alucinante. Duas pérolas que só confirmavam o talento de Raimi.

Em Arraste-me para o inferno, ele conta a história de uma jovem que tenta a todo custo ganhar uma promoção no banco em que trabalha. Ao negar a negociação de uma hipoteca a uma velha senhora cigana, sua vida se transforma num inferno. É vítima de uma maldição que, para ser quebrada, vai exigir muitos sacrifícios.

O filme tem tudo o que os fãs do gênero adoram: sustos, reviravoltas, cenas grotescas, humor de gosto duvidoso etc. Com alguns extras que só um grande diretor pode oferecer: edição certeira, montagem ligeira, tomadas de câmera bem estudadas, planos bem bolados e uma direção de atores realmente eficaz. Estão lá, também, vários elementos e inúmeras referências de sua franquia de maior sucesso.

É cinema de horror-entretenimento de melhor qualidade, como poucos sabem fazer.

Um comentário:

Kamila disse...

Não gosto desse filme, apesar de saber do histórico de Sam Raimi nesse gênero.