terça-feira, janeiro 07, 2014

#4 - Eu e você (Io e te), de Bernardo Bertolucci

Podem chamar de implicância mesmo, mas Bertolucci não desce bem. E nem adianta vir com O último tango em Paris, Beleza roubada ou Sonhadores - muito menos O pequeno Buda. Não gosto da maneira como ele conta suas histórias. Não gosto do jeito que ele edita seus filmes. Não gosto de como ele dirige seus atores (e aqui, inclusive, ele desperdiça a presença de Pippo Delbono, um monstro). Mas ele sempre acerta nas trilhas sonoras.

Eu e você passou voando pelo circuito carioca. Não chamou atenção nem pelo fato de ser o mais novo filme assinado por Bertolucci em quase uma década. O roteiro fala de um jovem de 14 anos que prefere ficar trancado no porão, sozinho, ao invés de viajar para uma estação de esqui com a escola. Ele precisa passar uma semana se escondendo da mãe e dos conhecidos do bairro. Até que...

Bom, se eu escrever aqui o que acontece, o filme perde a graça, porque, além da situação que se dá logo no início da projeção, nada acontece. Nada. Não há conflitos, não há reviravoltas, não há bons diálogos, não há boas sacadas. Nada. Há, lá no começo, uma cena bizarra e deslocada na qual o garoto pergunta para a mãe se ela faria sexo com ele caso os dois fossem os únicos sobreviventes de um desastre planetário. É, Bertolucci! Assim fica difícil...

Ah, mas a trilha sonora é ótima! Tem Cure, Arcade Fire, David Bowie e Red Hot Chilli Peppers.

Um comentário:

Kamila disse...

Acho que o último filme do Bertolucci que chamou mesmo a atenção foi "Os Sonhadores". Nem conhecia esse filme. Passou despercebido mesmo!