domingo, março 17, 2013

#15 - Raul - o início, o fim e o meio, de Walter Carvalho

Assistindo ao documentário de Raul Seixas, a gente percebe que sabe cantar junto quase todas as músicas dele. Cujas letras são, em sua maioria, geniais! Um artista carismático e, de certa forma, subversivo, flertando com o ocultismo e as sociedades secretas, merecia mesmo um filme. Raul era um baita personagem nos palcos. Não podia ser diferente num argumento que justificasse um documentário. Demorou, mas Walter Carvalho fez o favor de dirigir a cinebiografia de um dos maiores ícones do rock nacional. Ou alguém discorda?

O material de apoio é bastante rico. Há gravações inéditas, fotografias antigas e entrevistas com parceiros e amigos que acompanharam de perto a carreira de Raulzito, desde a adolescência, quando era um fanático por Elvis Presley, até os momentos finais de vida, quando foi vítima de ostracismo midiático e acabou sucumbindo de vez ao alcoolismo. Inclusive, Walter Carvalho não deixa de fora algumas polêmicas que cercaram a vida do músico, como o abuso das drogas, as conturbadas relações amorosas e a acusação que recaiu sobre Marcelo Nova, líder do Camisa de Vênus, de explorar Raulzito no final de sua vida, quando o levou a participar de uma turnê com mais de 100 apresentações.

Apesar das quebras dramáticas bastante sombrias, o que fica registrado são os bons momentos da vida de um sujeito que cantava aos quatro ventos o célebre verso faze o que tu queres, pois é tudo da lei. Numa das melhores sequências do filme, Paulo Coelho é importunado por uma mosca enquanto fala sobre o ex-parceiro. Em outra, podemos testemunhar a gravação, em estúdio, de "Eu também vou reclamar" (minha música predileta do cara) - uma verdadeira bagunça!

Não tem jeito: assim que o filme acaba, você tem vontade de gritar... Toca Rauuuuuuul!

4 comentários:

renatocinema disse...

Discordar desse documentário, de Raul Seixas ou de seu texto.....só sendo Maluco Beleza. kkk

abs

Kamila disse...

Acho curioso que o gênero de documentários brasileiro tenha se fortalecido nessa seara dos documentários musicais. Gosto muito do trabalho do Walter Carvalho e, mais ainda, das músicas do Raul Seixas. Pretendo assistir a esse filme.

Duellio disse...

Meu gosto musical foi moldado ouvindo Raul, assim como suas letras me fizeram ir além, e querer saber que lei é esta, que sociedade alternativa estavam falando aqueles doidos... Nem preciso falar no bem que tudo isso me fez... Acho extremamtente necessário e rico o momento do documentário no cinema nacional, linguagem com uma expressão tão direta e incisiva, que acredito ser a melhor forma de abordar a vida dos ícones... Gostaria de ver algum comentário seu de algum filme do Vladimir de Carvalho, em particular de Rock Brasília, documentário que aborda o nascimento de bandas importantes no cenário musical brasileiro.. Digo, gostaria, por que acho suas resenhas sempre coerentes e interessantes, apesar de não concordar com todas... Abraço, e parabéns pelo Blog

Ândi disse...

"Eu também vou reclamar" é minha predileta também :)