quinta-feira, dezembro 29, 2011

#93 - Apenas uma vez (Once), de John Carney

Se você, que nem eu, não curte muito musicais, mas adora música, e acha que o gênero anda cambaleante, ainda mais quando misturado a relacionamentos amorosos, precisa ver Apenas uma vez. Um sopro de inteligência e sensibilidade para contar a história de um homem e uma mulher que se cruzam em um momento conturbado de suas vidas, com direito a uma trilha sonora consistente.

Tocando seu violão nas ruas de Dublin, capital irlandesa, um rapaz tenta ganhar alguns trocados decentemente. Um dia, uma imigrante para para observá-lo. Os dois trocam olhares e percebem que têm na música uma válvula de escape para seus problemas - a moça toca piano. Ao longo da projeção, o casal vai compondo e tocando canções que falam sobre suas experiências e sentimentos. Pasmem, sem qualquer pieguice, apesar das músicas serem meio tristonhas. O desfecho, contrariando a regra, é ótimo.

Ser uma produção independente ajudou Apenas uma vez a ganhar uma identidade própria. Não há qualquer amarra com a indústria musical. As gravações foram feitas com apenas duas câmeras digitais, durante três semanas e com um orçamento de 100 mil euros. Rendeu reconhecimento ao diretor John Carney, ex-integrante da banda The Frames. Os pombinhos protagonistas, Glen Hansard e Markéta Irglová, foram premiados por suas belíssimas atuações.

Bonitinho! Bom para ver a dois.

2 comentários:

Maria disse...

Amo esse filme. Já falei pro Dôgra ver com a moça dele pra fazer uma média e tals... romantiquinho que meninos aguentam!

Acho que várias coisas sustentam esse filme mas, principalmente, a empatia entre os atores. E depois de vê-lo umas 3 vezes eu vi os extras e eles realmente tem uma ligação fantástica.

Anônimo disse...

vi sozinha mesmo! comprei! :) bjs jovem