terça-feira, dezembro 27, 2011

#81 - Copacabana, de Alfred E. Green

Groucho Marx e Carmen Miranda estrelam Copacabana, que, no caso, dá nome a uma casa de shows em Nova Iorque. Lançado em 1947, o filme traz números musicais reais da época em que a Pequena Notável já fazia sucesso no exterior. Marx, sem seus irmãos, brilha na pele de Lionel Q. Deveraux, um empresário malandrão que acaba se encrencando quando vende o show de sua namorada, Carmen Navarro (Miranda). E vende outro número, para a mesma noite, enganando o dono da casa: sua amada terá que encarnar, também, uma cantora francesa chamada Fifi. A confusão está feita.

Carmen Miranda e Groucho Marx estão em perfeita sintonia, com atuações impecáveis. As piadas são bastante divertidas e os números musicais nem são chatos. Vale a pena ouvir com atenção a participação de outros artistas da época, como as DeCastro Singers e Os Cariocas, um conjunto criado por Ismael Neto em 1942.

Fora o nome da casa de shows, não há qualquer referência à Princesinha do Mar. Além disso, obviamente, a produção hollywoodiana traz o conceito da música brasileira um pouco distorcido, com aquela interferência caribenha que até hoje faz os estadunidenses confundirem Buenos Aires com Brasília.

Pelé com Maradona eles não confundem.


Nenhum comentário: