sábado, dezembro 17, 2011

#77 - Ganhar Ganhar (Win Win), de Thomas McCarthy

Normalmente, Paul Giamatti se envolve em projetos bastante interessantes. Ganhar Ganhar confirma isso. Um filme independente que investe muito mais nos personagens do que na direção de arte, no figurino ou na fotografia. Foi exibido no festival internacional, aqui no Rio, e chamou a atenção do público e da crítica como uma grata surpresa.

O roteiro conta a história de Mike Flaherty, um advogado que enfrenta sérios problemas financeiros. Nas horas vagas, treina a equipe de luta-livre da escola da cidade. Certo dia, ele passa a ser o tutor de um de seus clientes, que se torna incapaz pela senilidade. A surpresa é um garoto misterioso, calado e introspectivo, que aparece na porta de sua casa. Diz ele ser o neto do tal cliente senil. Mike passa, então, a cuidar do garoto - e descobre que ele é uma fera da luta-livre.

O argumento toca, com delicadeza, nos tênues limites entre o egoísmo e o altruísmo. Como em qualquer outro filme independente, os diálogos são bem trabalhados. Porém, o destaque, mesmo, fica com o elenco, brilhante, irretocável. Os personagens, bem heterogêneos, ganham ainda mais força com a entrega dos atores.

Veja, que você só tem a ganhar - nossa, péssima essa, hein?

2 comentários:

renatocinema disse...

Concordo quando diz que Paul Giamatti sempre escolha produções interessantes.

Egoísmo e o altruísmo? ahhhhh...parece o tipo de filme que eu gosto.

Kamila disse...

Só leio elogios em relação a este filme. Quero muito assistir. Inclusive, achava que Paul Giamatti seria indicado ao Golden Globes por esse filme, mas estava enganada! rsrsrs

Beijos!