sábado, dezembro 17, 2011

#76 - Hesher, de Spencer Susser

Vai ter gente achando que estou exagerando, mas Hesher é uma espécie de Teorema - sem, obviamente, a intensidade erótica e provocante que consagrou Pasolini. Porém, o argumento é bem parecido. Seguinte: um sujeito estranho, que dá nome ao filme, se instala na casa de uma família à beira de um colapso. No entanto, é ele que, usando de métodos nada tradicionais, vai conseguir transformar a vida de cada uma das pessoas com quem vai ter dois minutos de contato. Principalmente a vida de TJ, um menino que sofre bullying na escola e que tem dificuldades em se relacionar com o pai.

Hesher, interpretado magistralmente por Joseph Gordon-Levitt, é um sujeito que vive dirigindo um furgão velho, ouvindo Metallica (que é a trilha sonora do filme) no último volume (aliás, notem a tipografia do título) e se envolvendo em episódios de pirofagia. Num belo dia, TJ cruza o seu caminho. A partir daí, Hesher não sai mais da cola do garoto, para o bem e para o mal.

O roteiro é excelente, com reviravoltas surpreendentes e nem um pingo de moralismo. Há a lição pela qual a família tem que passar para se reestruturar, mas em nenhum momento o filme apela para a pieguice. Pelo contrário, todas as ações de Hesher são condenáveis e irresponsáveis.

Um ótimo filme, que nem deve ganhar exibição por aqui tão cedo - lamentavelmente.

Nenhum comentário: