sexta-feira, outubro 14, 2011

#52 - O caçador de trolls (Trolljegeren), de André Øvredal




Seguindo a premissa de Bruxa de Blair (1999), que por sua vez seguiu a fórmula de Holocausto Canibal (1980), O caçador de trolls se apresenta ao público como um documentário. Os créditos iniciais dão conta de explicar que dois HDs (ora, são tempos digitais) foram deixados na porta de uma produtora. Com mais de 300 horas de gravação, traziam imagens impressionantes que comprovariam a existência de trolls em terras norueguesas.

Já nos primeiros minutos de projeção, fica claro que O caçador de trolls é um mockumentary que não se leva nem um pouco a sério - por mais dicotômica que a afirmação possa soar, já que todo filme do gênero é uma piada filmada, independentemente da verossimilhança. Acontece que, em nenhum momento, o diretor tenta convencer o espectador de que aquilo pode ser real - por mais que acreditar na existência de trolls seja uma questão patológica. Se bem que a Xuxa acredita em duendes.

As imagens mostram um grupo de jovens estudantes universitários que parte em busca de explicações sobre estranhas aparições de animais mutilados. Acabam colhendo lendas e folclores da região, por mais que o governo jure de pés juntos que trata-se de um urso. Os universitários colam, então, num misterioso caçador, o sujeito que dá nome ao título do filme.

Na primeira aparição de um troll diante das câmeras, é capaz do espectador ficar atônito. É muito esquisito. Não tem nada de assustador, inclusive. No entanto, é a partir daí, quando o filme se assume despretensioso, que passa a ser realmente divertido ver os protagonistas atrás dessas criaturas mitológicas nórdicas. Há, inclusive, uma explicação técnica das espécies de trolls.

No mais, é aquilo: câmera balançando, night shot, enquadramentos tortos, cortes abruptos etc. Diz os créditos finais que nenhum troll foi machucado durante as filmagens. E, fica a dica, permaneçam na sala de projeção até o fim.

2 comentários:

renatocinema disse...

Eu gostei muito da ideia de A Bruxa de Blair. Porém, estão cansando de seguir a mesma ideia.

Kamila disse...

Não tenho mais paciência para esse tipo de filme, como o Renato, estou cansada de ver os filmes desse estilo seguindo a mesma ideia...

Beijos!