domingo, maio 08, 2011

28 - Fúria sobre rodas (Angry drive), de Patrick Lussier


Fato: Nicolas Cage deveria pensar seriamente em se dedicar a essa nova onda de exploitations, que revisitam referencialmente os clássicos de décadas passadas. Quanto mais canastrão o personagem, melhor para ele. Já havia sido assim na adaptação que Werner Herzog fez da obra-prima de Abel Ferrara, Bad Lieutenant, na qual Cage protagoniza o policial viciado e inescrupuloso. Em Fúria sobre rodas, Cage tem a oportunidade de exercitar toda a sua picaretagem. E dá certo.

O roteiro segue a mesma fórmula dos carexploitations (sim, o termo existe e se refere aos exploitations de perseguições de carros). Um sujeito às do volante, a bordo de carrões envenenados, parte em busca de vingança. No caso, caça com voracidade os homens que mataram sua filha e sequestraram a sua neta para oferecê-la como oferenda em um ritual de magia negra. Diz aí se não é fantástico esse argumento?

A estética é propositalmente suja. A edição é propositalmente desleixada. Os diálogos são propositalmente forçados. Melhor ainda: o filme original, nos cinemas, foi exibido em 3D. Mais uma vez, nenhuma grande cena utilizando o recurso. Porém, algumas pequenas passagens são divertidas. Quem assina a direção é Patrick Lussier, um sujeito que, ao que tudo indica, deve se tornar referência em remakes de filmes de terror em 3D. Foi assim com Dia dos Namorados macabro, e deve ser assim com os já anunciados remakes de Hellraiser e Halloween 3.

Porém, voltando ao Cage, fica a dica para ele: dedique-se aos exploitations!

Um comentário:

renatocinema disse...

Não sou fã de Nicolas Cage muito menos de carro....nada mais a dizer.kkkk