sexta-feira, dezembro 24, 2010

#95 - Amor sob contrato (The Joneses), de Derrick Borte


Às vésperas da ceia de Natal, capaz das salas ficarem vazias. Porém, o circuito ganha hoje alguns filmes de presente. E uma das produções que entra em cartaz mais se parece com aquela cueca esquisita que a sua tia avó, pobrezinha, insiste em lhe dar todo o ano. A bomba, ou melhor, a cueca, é Amor sob contrato, que é mais uma tentativa de autocrítica estadunidense que fica na superficialidade. Chato demais. Abaixo, o que escrevi sobre o filme no Jornal do Brasil.

Amor sob contrato é mais uma daquelas produções estadunidenses cujo argumento tem como objetivo criticar a sociedade de consumo – mas nem tanto. O roteiro conta a história de uma família aparentemente perfeita, os Jones: o pai Steve (David Duchovny), sua esposa Kate (Demi Moore) e o casal de filhos, Jenn (Amber Heard) e Mick (Ben Hollingsworth). Eles são contratados por grandes marcas para usar produtos e convencer os vizinhos a comprar o estilo de vida que apregoam com afinco. No entanto, a farsa começa a ruir quando os Jones vão se envolvendo em pequenos e corriqueiros contratempos.

O quarteto de atores pode até enganar os incautos vizinhos ao longo da projeção, mas não convence o espectador em momento algum. Amor sob contrato é tão artificial, que não engrena. Os conflitos são rasos, a trilha sonora é cafona, os diálogos são pobres, o roteiro é previsível e os atores são péssimos. Pior do que isso, não há qualquer tipo de profundidade na crítica que o argumento propõe. Chega a ser constrangedor ver o personagem de Duchovny tentando dar lição de moral aos pobres e coitados estadunidenses que crêem no crédito e no consumo como uma espécie de escapismo.

4 comentários:

renatocinema disse...

Não gosto de nenhum dos atores. E, felizmente ou infelizmente, levo muito isso em conta para ir ao cinema.
Ainda bem que li sua critica e nem em dvd pego essa "bomba".
Demi Moore só fez um filme que me agradou, e não por ela em si e sim pela ótima história: Questão de Honra.

renatocinema disse...

Sobre "Coração Satânico" só posso dizer que eu assisti várias cenas impactantes naquela produção: a de sexo, a do elevador, até a cena do ovo cru...Filmaço.

Feliz 2011.

Abraços

jeff disse...

O que me chamou atenção de cara no post - o que acho bastante óbvio, aliás hehe - foi o cartaz. Que coisa feia é essa?! Tem alguém ao lado da Demi Moore ou é impressão minha? Cortaram uma foto, é isso? Lamentável. Por mais que, pelo visto, o filme seja ruim, é um descaso tão grande que surpreende. Sem contar o título, a diagramação, etc.

Quanto ao filme, nem sabia da existência. Acho que ganhar uma cueca deve ser melhor que assistir a isso. Pelo menos é útil.

[]s!

Anônimo disse...

Apesar das criticas com as quais eu concordo um pouco, acho q. o filme é original e vale a pena ser visto.
Aliás, criticar o filme sem ver é um absurdo.