terça-feira, setembro 28, 2010

#80 - Um homem um tanto gentil (En ganske snill mann), de Hans Petter Moland




O bacana de um festival internacional é justamente fugir dos filmes mais badalados, que na maioria das vezes têm distribuição garantida, e catar umas produções de origem, digamos, exótica. Por exemplo, a Noruega, o país do bacalhau, terra do dramaturgo Henrik Ibsen. É interessante observar o que o país nórdico anda fazendo em termos de cinema. Um homem um tanto gentil é uma comédia bastante interessante, ainda que muito simples. Talvez a simplicidade seja aqui um trunfo, uma vez que o roteiro tem algo que atualmente anda escasso nas produções milionárias da indústria cinematográfica: criatividade.

Acompanhamos a história de Ulrik, um homem de meia-idade que sai da cadeia após cumprir pena por assassinato. Ele tenta recomeçar a vida trabalhando numa oficina mecânica, mas se vê pressionado pelos velhos colegas de crime a realizar mais um trabalho sujo. Gentil, simpático e atencioso, Ulrik vai repensando a vida à medida em que as pessoas vão cruzando o seu caminho.

Quem interpreta com maestria o protagonista é Stellan Skarsgård, velho conhecido do público mais afeito ao cinema nórdico - trabalhou, por exemplo, com Lars Von Trier em Dançando no escuro e Dogville. O grande barato de Um homem um tanto gentil está na construção dos personagens, todos eles essenciais para a fluidez narrativa. Cada um com sua peculiaridade, por vezes com suas bizarrices. Por isso, o riso surge dos pequenos detalhes, da pantomima, da marcação, dos trejeitos.

É isso que torna uma comédia, de fato, deliciosa. Aprendam com eles, burocratas do cinema!

4 comentários:

Robson Saldanha disse...

Só uma palavra sobre o FestRio: Inveja.

Um evento como esses nunca ocorreu e provavelmente não ocorrerá aqui em Natal; =/

Kamila disse...

Lendo teus textos, me sinto dentro do Festival do Rio! Obrigada pelos posts! :)

Beijos!

Camila disse...

Vou provar esse também.
Depois de descobrir o torrent, minha vida e meu hd nunca mais serão os mesmos..rs
Gostei de Dançando no Escuro, apesar de ter visto uma unica vez e não ter nenhuma conclusão exata do que vi.
Dogville pra mim foi inovador, tanto no formato quanto no desfecho.

Maria disse...

Só vim contar que assisti "O segredo dos seus olhos"... e é exatamente o que vc falou, a última cena, totalmente dispensável!

No geral, achei bom. Só que o o filme demora muito a "engatar".

bj e aproveita o festival!