sexta-feira, agosto 27, 2010

#69 - Karatê Kid (The Karate Kid), de Harald Zwart


Outra estreia é o remake de um clássico dos anos 80, Karatê Kid. Desta vez, algumas mudanças foram feitas no argumento, para adaptá-lo aos novos tempos. Duas coisas muito estranhas vão chamar a atenção do espectador. Primeiro, o menino aprende kung fu, e não karatê. Segundo, Jackie Chan está muito bem no papel de zelador que nas horas vagas é mestre das artes marciais. O roteiro mudou, mas as lições continuam as mesmas. Segue o que escrevi para a Revista Programa, do Jornal do Brasil.

A história do jovem desajeitado que aprende karatê e vence um torneio contra os pupilos de um treinador mal intencionado, que fez bastante sucesso na década de 80, ganhou uma repaginada. O argumento permanece o mesmo, mas há uma série de adaptações que desqualificam Karatê Kid de uma mera refilmagem. Desta vez, a história se passa na Pequim pós-jogos olímpicos, para onde o adolescente estadunidense Dre Parker (o espevitado Jaden Smith) se muda com a mãe. Lá, vítima de bullying e constantemente ameaçado por garotos que desonram o kung fu, acaba sendo salvo pelo zelador do prédio, o Sr. Han (o carismático Jackie Chan). O resto é mais do mesmo: a dupla protagonista é desafiada para uma competição local e precisa correr contra o tempo para transformar o inepto aprendiz em um exímio campeão.

Apesar do título, o garoto aprende kung fu, e não karatê. Porém, as lições de vida, carregadas de um simbolismo exótico aos ocidentais, são praticamente as mesmas. Ao invés de pintar uma cerca ou polir um automóvel, como fez Daniel San, o pequeno Dre é obrigado a vestir e despir um casaco incessantemente, sem notar que já está aprendendo kung fu. Karatê Kid tem algumas boas piadas e um punhado de referências à franquia original, mas o longo e confuso roteiro vai perdendo força com excessos narrativos e exageros melodramáticos. O destaque é, sem dúvida alguma, a caracterização cuidadosa e caprichada de Chan, cujo personagem exige um pouco mais do que acrobacias e caretas.

7 comentários:

Ândi disse...

Cara, é difícil imaginar o Jackie Chan fazendo "o papel de Miyagi" (tá, eu sei que não é o Miyagi, mas você entendeu).

Eu acho que não vou gostar. Mas mesmo assim quero ver. Vai entender...

Karol disse...

Antes do lançamento desse filme, eu estava falando com um professor e campeão nacional de Karaté e ele disse que os antigos Karaté kid não tem nada de Karaté, ou melhor, só o nome.

pseudo-autor disse...

Eu esperava uma decepção total e me surpreendi muito com o filme. E sem dúvida o Jaden Smith me convenceu mais na pele do garoto caratê do que o sem-graça do Ralph Macchio.

Cultura na web:
http://culturaexmachina.blogspot.com

Jeniss Walker disse...

Queimei a língua com essa refilmagem. ainda bem...O filme é ótimo e Jackie Chan surpreende. Abraço :)

Kamila disse...

Vou assistir a este filme amanhã, sem qualquer expectativa, mas somente para ver a nova visão dada a um filme que marcou minha infância.

Beijos!

bruno knott disse...

Bom saber que o Jackie Chan está bem no papel!

Logo confiro o filme.

Abraços.

Vulgo Dudu disse...

Andi, eu entendo perfeitamente: você é um entusiasta dos anos 80! Eu também.

Karol, nesse nem o nome tem a ver com o filme! rs...

Pseudo-ator, eu acho que o Jaden Smith até tem futuro, mas tem que controlar um pouco o ímpeto de ser descolado, ou vai acabar estigmatizado.

Jeniss, sério que você achou ótimo? Eu achei regular. Mas concordo que o Chan está ótimo!

Kamila, acho que é assim mesmo que o filme deve ser visto: sem grandes expectativas.

Bruno, na minha opinião ele é o melhor do filme.

Bjs e abs a todos!