sexta-feira, julho 30, 2010

#59 - O segredo dos seus olhos (El secreto de sus ojos), de Juan José Campanella


A Argentina tem um cinema sólido. Há um bom tempo. Incontestáveis os talentos que eles têm em todas as áreas técnicas: bons diretores, bons atores, bons roteiristas, bons diretores de fotografia e por aí vai. O segredo dos seus olhos levou a estatueta daquela academia como o melhor filme estrangeiro - decisão que não deve ter sido nada fácil, dado o nível dos concorrentes. Porém, o prêmio coroa mais do que um filme - trata-se de uma honra ao mérito pela qualidade da arte cinematográfica produzida no país.

Juan José Campanella, um ótimo diretor, filma um roteiro bastante denso e instigante, interpretado pelo excelente Ricardo Darín. A película conta a história de um investigador que, ao se aposentar, decide escrever um livro no qual retoma as memórias sobre um grotesco assassinato, cujos meandros permanecem desconhecidos. Com uma cronologia muito bem sacada, os elementos que compõem a trama vão sendo apresentados, para culminar em um desfecho bastante pungente.

Campanella tem pulso firme e imprime estilo à direção. Seus atores rendem, suas marcações funcionam e o argumento flui com facilidade. O único porém fica com a cena imediatamente antes dos créditos finais, patética, desnecessária, que alivia o espectador de toda a carga dramática construída ao longo de mais de duas horas de projeção. Ainda assim, nada que prejudique a fruição daqueles que curtem uma boa trama de suspense.

Eu nem sabia, mas meu amigo Pascarella, publicitário e cinéfilo, me mostrou como os filmes argentinos também fazem sucesso no mundo da propaganda. De fato, os caras dominam a linguagem. Prova disso é a premiada série de anúncios de um festival de cinema independente (vejam só o tema) que acontece na cidade de Buenos Aires. Confira aqui.

6 comentários:

Robson Saldanha disse...

Acho que nunca havia torcido tanto pra um filme estrangeiro como torci pra esse ganhar o Oscar. Pude conferir os três principais candidatos e esse foi meu eleito. Achei um filme inteligente, sensível e com história ótima. Os argentinos acertaram...

Kamila disse...

Deixa eu ver se eu entendi direito: o desfecho é pungente, mas o filme se alonga em uma cena final desnecessária? É isso??

Eu, sinceramente, mal posso esperar para conferir este elogiadíssimo filme.

Beijos!

Maria disse...

Infelizmente, perdi este filme. Não tive como ver aqui em JF, aí depois até passou em Petrópolis, mas num horário só, péssimo. Uma pena.

Vulgo Dudu disse...

Robson, eu gostei também, mas os outros concorrentes estavam à altura. Aliás, melhores que os indicados ao Oscar de Melhor Filme - todos eles.

Kamila, sim, o desfecho da trama é bastante forte. Aí, o filme deveria ter acabado, na minha opinião. Mas temos ainda dois minutos desprezíveis. rs!

Maria, eu arrisco dizer que você vai gostar muito do filme. Ainda mais por ter um quê de advocacia no meio da trama, fala a todo instante sobre justiça etc.

Bjs e abs!

Rafael Carvalho disse...

É, a cinematografia recente da Argentina está de parabéns, muita coisa boa tem saído de lá. Mas acho que esse filme está longe de ser um grande representativo dessa fase. O Campanella já fez coisa muito melhor, como O Filho da Noiva, por exemplo, que é uma pequena obra-prima. Acho esse O Segredo dos Seus Olhos um tanto irregular. A história policial só funciona na primeira metade do filme (e retoma com aquele desfecho sensacional), e a trama romântica é cheia de clichês e nunca parece se sustentar a contento. Enfim, um bom filme, mas não sou dos maiores fãs, não!

Vulgo Dudu disse...

Rafael, eu gostei bastante do filme porque esperava, justamente, muito menos. Achei que ia ver um drama, um romance, uma coisa assim meio comum. Mas o roteiro vai por um caminho bem diferente, que me surpreendeu. Só achei o desfecho, que trata justamente do romance, completamente desnecessário...

Abs!