sábado, julho 24, 2010

#58 - O fantástico Senhor Raposo (Fantastic Mr. Fox), de Wes Anderson


Roald Dahl, autor que se dedicou à produção literária infanto-juvenil, ganhou certa fama de cool depois que sua obra mais famosa, A fantástica fábrica de chocolate, foi adaptada para a tela grande. O filme, de 1971, tinha mesmo alguns traços pitoresco, uma certa dose de bizarrice típica dos contos infantis que trabalham a ideia de moral e punição. Tim Burton sacou que poderia tirar proveito disso e assinou uma refilmagem na qual esses traços foram trabalhados à exaustão.

Wes Anderson, assim como Tim Burton, tem uma linguagem própria, ainda que ambas sejam completamente distintas. O diretor trabalha como ninguém a questão da existência humana sob um olhar mais sensível, com personagens excêntricos que acabam criando empatia com a plateia porque funcionam como arquétipos da sociedade contemporânea. Quando optou por levar aos cinemas a história do Senhor Raposo, escrita por Dahl em 1970, Anderson conseguiu capturar com perfeição as ideias de moral e punição que estão nas páginas de O fantástico Senhor Raposo.

A história tem início quando o tal Raposo - que vive em uma sociedade moderna e urbanizada -, impulsionado pelo incontrolável instinto animal de "roubar" seus alimentos, empreita um grande plano para tirar proveito de três ricos fazendeiros da região. Porém, sua ação é descoberta. Logo, sua família se vê sob risco quando os empresários se unem para caçá-lo feito um animal. A partir daí, a luta entre o instinto e a razão, a mesma que permeia as relações entre os agentes sociais até os dias de hoje, é uma constante. Prato cheio para o diretor discorrer sobre um tema que lhe é instigante.

Um dos grandes baratos de O fantástico Senhor Raposo é a utilização da animação stop motion em plena época da quase imposição mercadológica do 3D. E, para tornar a ação ainda mais caricata, ao invés dos 24 quadros por segundo, Anderson utiliza somente 12, o que confere ainda mais charme ao filme. Como em suas obras anteriores, a trilha sonora é caprichada e os diálogos são um atrativo a mais.

Mais para adultos do que propriamente para crianças.

4 comentários:

Kamila disse...

Só tenho lido boas opiniões sobre este filme e todas elas frisam que esta é uma animação para adultos. Quero muito conferir.

Beijos!

Cristiano Contreiras disse...

Quero ver também, me parece prazeroso! abs

Robson Saldanha disse...

Resisti um pouco até conferir porque aparentemente não tinha gostado do tipo de animação, mas quando finalmente conferi me surpreendi, achei um trabalho excelente. É daqueles filmes simples, mas que tem um resutado ótimo.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, em épocas de 3D, vale a pena ver esse aqui!

Cristiano, é tão prazeroso como qualquer outro filme do Anderson!

Robson, eu acho que o fato de ser um stop motion com 12 quadros por segundo o torna bastante interessante. E como escrevi ali em cima, é tão bom quanto outro filme do Anderson.

Bjs e abs!