sexta-feira, junho 11, 2010

#47 - KISS meets the phantom of the park, de Gordon Hessler


O KISS sempre foi uma banda teatral, com veia para a dramaticidade. Shows pirotécnicos, maquiagem pesada e guarda-roupa extravagante eram marca registrada do quarteto. E se eles tinham lancheiras, bonés, bonecos, toalhas de praia e outras miudezas mais, nada mais lógico do que estender o merchandising para as telas de cinema. Daí surgiu um dos filmes mais toscos e, por isso mesmo, divertidos que uma banda já realizou: KISS meets the phantom of the park, produção de 1978.

O roteiro é pavoroso, o que não é de maneira alguma uma afronta. Tudo tem início quando os "cavaleiros a serviço de Satã" são contratados para realizar uma curta temporada de shows em um parque de diversões - no qual a grande atração são as réplicas perfeitas de personagens que se mexem como seres humanos. No local, muito misteriosamente, obviamente, pessoas desaparecem sem deixar qualquer rastro. Um dos desaparecidos é o noivo de uma jovem, que vai contar com a ajuda do quarteto para solucionar o caso.

Stanley, Simmons, Criss e Frehley, além do sucesso, desfrutam de poderes intergalácticos, oriundos de valiosos talismãs cósmicos, para defender os fracos e oprimidos. Durante o filme, pouco falam - Gene Simmons, inclusive, ruge como um leão. O que sobra, então, é um desfile de efeitos especiais toscos, que na época deviam ser o máximo. Com direito a raios lasers e voos acrobáticos, tudo para que o KISS consiga salvar o dia.

O mais interessante é perceber que em momento algum o tom do filme pende ao lado obscuro do trabalho da banda - que, lembremos aqui, teve seus discos queimados em fogueiras doutrinadoras espalhadas por todo o território estadunidense. Inclusive, quem assina a produção é ninguém menos que Joseph Barbera, o mesmo que produzia os desenhos animados mais famosos da época.

Logo, pode-se dizer que Kiss meets the phantom of the park é um "filme animado".

2 comentários:

Kamila disse...

O Kiss é um barato! Esse é um documentário que eu gostaria de ver.

Beijos!

Vulgo Dudu disse...

Kamila, nem é documentário! É ficção mesmo. Se você acha KISS m barato, grandes chances de se divertir com ele!

Bjs!