segunda-feira, abril 12, 2010

#29 - Year One, de Harold Ramis


Nos playoffs da NBA, ano passado, Year One era constantemente anunciado durante os intervalos - obviamente, pelas redes estadunidenses que transmitiam as partidas. Parecia ser um filme bem interessante, com Jack Black e Michael Cera fazendo dobradinha em uma comédia com paródias de lendas bíblicas.

Na prática, Year One não é tão divertido assim, apesar do nítido esforço dos realizadores. O roteiro conta a história de Zed (Black), um caçador atrapalhado e desajeitado que come um fruto proibido e acaba expulso do seu povoado, localizado em uma erma floresta. Acreditando ter adquirido mais conhecimento após a refeição ilícita, resolve caminhar explorando o planeta. Tem como companhia o tímido e fracassado Oh (Cera).

Ao longo do filme, os dois esbarram com personagens bíblicos, enfrentam vilões históricos e visitam cidades antigas, tudo misturado. Porém, apesar das boas sacadas e do bom elenco, o texto não facilita. As piadas não têm muita graça e as passagens cômicas são raras. O desfecho é pouco criativo e deixa aquela sensação de frustração por se tratar de uma produção com dois bons comediantes. Aliás, as melhores cenas, sem dúvida, são de Michael Cera.

Não chega a ser uma perda de tempo, mas é frustrante. Ainda mais porque quem assina a produção é Judd Apatow.

5 comentários:

Robson Saldanha disse...

Caro Dudu, é um preconceito besta e implicante. Mas assim como não consigo achar Adam Sandler brilhante, penso o mesmo de Jack Black. E amis, ainda sou mais intolerante ainda com este último. Acho suas comédias demasiadamente forçadas...

Kamila disse...

Judd Apatow também erra!

Beijos!

Vulgo Dudu disse...

Robson, eu gosto do Jack Black. Já dei boas risadas com os filmes dele. Mas faz um tempinho que ele vem errando a mão...

Kamila, tem toda a razão! Que esta seja a sujeirinha na ficha do cara.

Bjs e abs!

Luciano disse...

Eu gostei do filme, eh divertido, nada muito hilário, mas o Jack Black ainda merece um respeito quando o assunto é comédia. Concordo que as cenas cômicas são raras mas eh válido assistir sem se preocupar com o roteiro.

O bluray deste título tem uma feature muito interessante, o MovieIQ, que quando ligado a internet dá toda a ficha técnica das cenas, fabuloso. =)

Abraço.

Vulgo Dudu disse...

Luciano, eu não consigo assistir a um filme sem me preocupar com roteiro. Aliás, o roteiro é o mais importante pra mim. Posso gostar de um filme em que os atores são fracos, a montagem é mediana e o argumento não soa interessante caso o roteiro seja bacana. Eu até gosto do Jack Black, mas ele anda errando um pouco, justamente, nos roteiros que vem aceitando. E em Year One, na minha opinião, Michael Cera rende muito mais que ele. Reconheço um certo esforço no filme, mas no balanço final malogra como comédia.

Abs!