segunda-feira, fevereiro 08, 2010

#11 - O terceiro tiro (The trouble with Harry), de Alfred Hitchcock)


Semana passada, fui me esconder da civilização lá na Serra da Bocaina. Trilhas em mata primária, lindas cachoeiras, paisagens de tirar o fôlego e uma paz... Fiquei hospedado na espetacular Pousada da Terra, um recanto digno de nota. Simples, mas sem perder o charme. Tudo lá é de um bom gosto ímpar, da decoração dos chalés à comida oferecida. Como não há entretenimento por perto (e nem é preciso...), alguns quartos são equipados com DVD. A pousada oferece uma videoteca de alto nível. Fiquei realmente impressionado.

Depois de um dia de extensa caminhada, após ter me embasbacado com a Cachoeira do Bracuí, resolvi levar para o quarto O terceiro tiro, de 1955, um dos filmes do mestre Hitchcock que ainda não havia conferido. Porém, cansado, dormi nos 10 minutos iniciais. Tentei vê-lo, então, na noite seguinte. Aconteceu a mesma coisa: 28 minutos depois já estava de olhos fechados. Então, quando cheguei ao Rio, providenciei uma cópia.

O filme começa com um capitão aposentado que acredita ter acertado um tiro num misterioso homem, o tal Harry, enquanto caçava coelhos. Na tentativa de ocultar o cadáver, acaba envolvendo todo o povoado em um complicado e divertido plano para despistar a autoridade local. Aos poucos, os envolvidos vão entendendo não somente quem é o morto, mas quem são seus próprios vizinhos.

A fotografia é incrível, ajudada pela bela locação, em Vermont. O elenco, com debut de Shirley MacLaine, é bastante afiado. Os planos bem estudados, marca registrada do diretor, estão lá. O grande destaque, no entanto, fica por conta da trilha sonora composta por Bernard Herrmann, em seu primeiro trabalho ao lado de Hitchcock.

Um filme simples, mas inesquecível por causa da perfeição dos detalhes. Exatamente como o meu fim de semana na Bocaina.

4 comentários:

Kamila disse...

Pousada da Terra. Gostei! Raro termos um local com uma DVDteca inspirada e um aparelho de DVD dentro do quarto. Gostei! :-)

Quanto ao filme, não o assisti, mas Hitch é Hitch. Ele é mestre!

Beijos!

bruno knott disse...

Olá!
É um filme menor do Hitch, mas mesmo assim é excelente. Em alguns momentos me fez lembrar Rashomon.

A única coisa que nao gostei foi o romance do filme, de resto é ótimo.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, a Pousada da Terra é uma coisa de linda, num lugar realmente especial. Eu cheguei a cogitar a hipótese de ver vários dos filmes da videoteca deles, mas chegava tão cansado das trilhas que dormia na hora! hahahaha!

Bruno, eu já acho um filme 'maior' do cara rs... Até porque menos é mais - e isso no cinema pra mim é quase regra! Adorei!

Bjs e abs!

Maria disse...

eu acho que todo hotel deveria ter um dvd e um acervozinho de filmes... não custa tanto, né? bem legal.

ah, vc viu o tal da fita branca?