domingo, janeiro 03, 2010

#1 - Trinta anos esta noite (Le feu follet), de Louis Malle


O que mais impressiona nos filmes de Louis Malle é a atemporalidade que sua direção proporciona. Por isso mesmo, suas obras são uma forte referência do cinema francês. Trinta anos esta noite vem reforçar a habilidade do diretor na arte de montar e contar boas histórias. Elenco, fotografia, trilha sonora - tudo com a classe, o charme e o rigor do bom cinema.

O roteiro fala sobre um homem que se interna para tratar o alcoolismo e as tendências suicidas. Ao receber alta dos médicos, volta ao convívio social. Porém, precisa se adequar novamente à sociedade, lutando para vencer uma melancolia implacável. Maurice Ronet, um dos atores preferidos de Malle, brilha no papel principal.

Outro destaque é a trilha sonora. Se em Ascensor para o cadafalso Malle conseguiu dar dramaticidade à trama com a música de Miles Davis, aqui ele faz com que o som novamente entre em perfeita sintonia com a imagem. Belíssimos concertos para piano de Erik Satie, um dos expoentes do minimalismo, colaboram para fortalecer o clima de desolação que permeia todo o filme - fotografado, acertadamente, em preto e branco.

Cada vez mais fico boquiaberto com os filmes de Louis Malle!

9 comentários:

Surfista disse...

Você sabia que também existe um documentário nacional com o mesmo título? O tema é o 30º aniversário do gol de Rondinelli na final do Cariocão de 1978. Reza a lenda que aquela foi a vitória que abriu as portas para a geração de ouro do Mengão, com Zico, Leandro, Júnior e companhia.

Kamila disse...

Só assisti a um filme do Louis Malle: "Perdas e Danos", o qual ADORO!! Vou correr atrás desse aí!

Beijos!

intratecal disse...

não conheço Louis Malle... me pareceu bem interessante, vou conferir se tiver oportunidade!

abs

Pedro Henrique disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Henrique disse...

Deveria ser obrigatório. Não sei porque mas eu sempre relaciono esse filme ao Taxi Driver, do velho Scorsese.

Cristiano Contreiras disse...

Confesso que preciso conhecer mais do trabalho de Louis Malle, você me proporciona isso, vou procurar as obras cinematográficas.

abs

Vulgo Dudu disse...

Dougra, tô sabendo. Mas esse deve ser bem difícil de achar, né?

Kamila, ele tem um extenso currículo como diretor. Eu prefiro os filmes mais antigos. "Ascensor para o cadafalso" ainda é o meu favorito. Recomendo.

Intratecal, vale muito a pena. Faz parte da história do cinema contemporâneo, sem dúvida.

Pedrão, é meio obrigatório para o bom cinéfilo, não é mesmo? Quanto à ligação com "Taxi Driver", não consigo enxergar nenhuma... rs... Explica melhor isso aí!

Cristiano, e depois volta aqui para dizer o que achou!

Bjs e abs!

Reinaldo Glioche disse...

Adoro Lois Malle e esse é um ótimo filme para o Cris conhecer, como vc bem mencionou. é um filme com classe e charme, como vc bem observou. ABS

Vulgo Dudu disse...

Reinaldo, eu acho o cara muito à frente dos contemporâneos dele. Ele elevou o status de cinema francês como obra charmosa. Minha opinião.

Abs!