sexta-feira, novembro 06, 2009

#124 - Terra sonâmbula, de Teresa Prata


Há um tempo, andei escrevendo sobre como seria bacana se um bom cineasta, daqueles bem criativos, como Spike Jonze, David Lynch ou Michel Gondry, pegasse um livro do Mia Couto e o transformasse em filme. Por isso, quando recebi o e-mail sobre a cabine de Terra sonâmbula, fiquei bastante ansioso para conferir o resultado - mesmo desconhecendo o trabalho da diretora Teresa Prata. Eis aqui um esboço do que escrevi para a Revista Programa, do JB.

Terra sonâmbula é a adaptação do livro homônimo do escritor moçambicano Mia Couto, cuja obra tem como norte a denúncia da perda de identidade do continente africano. O texto, lírico e afiado, costuma se alternar entre o místico e o real, confundindo propositalmente o leitor. Portanto, é matéria-prima para excelentes argumentos cinematográficos. No entanto, é preciso boa dose de sensibilidade para imprimir na película a força das palavras.

A diretora Teresa Prata foi até Moçambique para filmar a história de um menino andarilho, órfão e sem referências do passado, que encontra um diário ao lado de um defunto. Ao ler anotações sobre uma mulher que busca o filho, sonha tratar-se de sua própria mãe. O problema de Terra sonâmbula está na simplicidade com a qual o roteiro é tratado. As imagens não dão conta do jogo narrativo proposto pelo texto original, transformando as sequências em meras rotinas técnicas que não encantam o espectador. Prova disso é o fraco rendimento dos atores, aparentemente pouco à vontade com os personagens.

4 comentários:

Airton disse...

opaa
pelo jeito nao eh mto bom neh hehe
meio alternativo o filme?

http://publicandobr.blogspot.com/2009/11/arte-de-fazer-estorias.html

pass la

Kamila disse...

Nunca ouvi falar do Mia Couto. Os livros dele são bons???

Pedro Henrique disse...

Não vi também, mas já li alguns contos e um livro (A Varanda do Frangipani) dele e gostei bastante.

Vulgo Dudu disse...

Airton, nem chega a ser alternativo. É simples demais - o que nem sempre é ruim. Mas aqui, o "demais" acaba comprometendo.

Kamila, o Mia Couto é dos meus escritores contemporâneos favoritos. Os livros dele são maravilhosos! Eu sugiro começar pelo "O último voo do flamingo". Acho que você vai gostar.

Pedrão, então você vai me entender se vir o filme. Com certeza!

Bjs e abs!