domingo, novembro 01, 2009

#123 - O caçador (Chugyeogja), de Hong-jin Na


Um dos grandes atrativos do cinema oriental é a estrutura narrativa dos roteiros. Nisso, eles dão um banho. Sabem contar uma boa história como ninguém - fruto da cultura milenar de oralidade. A produção coreana O caçador tem um roteiro espetacular, com a especificidade técnica típica dos thrillers hollywoodianos. O resultado é arrebatador!

O filme conta a história de um cafetão, ex-detetive da polícia, que começa a perder suas garotas misteriosamente. Passa, então, a investigar por conta própria o que está acontecendo. À medida em que vai encontrando pistas, começa a montar um sinistro e grotesco quebra-cabeça.

O roteiro é tão bom, mas tão bom, que consegue unir cenas extremamente violentas e sequências bastantes divertidas sem soar cansativo. O diferencial está na maneira como o conteúdo é apresentado. Os cortes mais sombrios, por exemplo, tem fotografia carregada e escura. Os personagens são muito bem trabalhados. O protagonista, vivido por Yun-seok Kim, é uma figura peculiar e interessante, do tipo que raramente visto em filmes do gênero. Foge de maniqueísmos e age sempre com naturalidade.

Não me causará espanto se daqui a alguns anos Hollywood, com sua criatividade saturada - praticamente esgotada -, anunciar um remake de O caçador.

7 comentários:

Bruno disse...

Eu sou suspeito pra falar, pois adoro cinema oriental!

São muito bons!

Fred Burle disse...

Ôpa! Ótima dica pra eu incluir na minha lista do FIC Brasília.
Valeu!

Kamila disse...

Ah, com certeza, vão fazer remake desse filme, ainda mais se ele for tão bom desse jeito! :-)

Beijos!

Alex Gonçalves disse...

Eu só passei a conhecer este filme uma semana antes de sua estreia nos cinemas. Com toda a certeza verei!

Pedro Henrique disse...

Filmaço! Vai sair remake sim, ano que vem já, creio, não lembro onde li isso, mas assim que descobrir coloco a fonte aqui.

Abs!

Rafael Carvalho disse...

Também acho sensacional a forma como o roteiro mistura momentos de incrível dureza com outros cômicos, numa estrutura bizarra e dá aquela sensação de estarmos vendo um produto no mínimo diferente e fora de padrão. Só acho que o filme tem altos e baixos que enfraquecem um pouco a narativa. E o final não deixa de ser duro. Muito bom.

Vulgo Dudu disse...

Bruno, esse não foge à regra!

Fred, depois passa aqui para dizer se gostou, ok?

Kamila, ele é muito bom! Uma verdadeira aula de roteiro!

Alex, aproveite para ver na tela grande.

Pedro, sabia que iam fazer remake! Típico... Depois quero ler mais sobre o assunto. Quem será que vai dirigir? E quem vai fazer o excelente cafetão?

Rafael, eu achei que o final poderia vir antes. Mas quando veio o final mesmo, de verdade, achei tudo perfeito! Aquela última cena dói mesmo...

Bjs e abs!