segunda-feira, outubro 12, 2009

#117 - Black Dynamite, de Scott Sanders



Fechei o Festival do Rio com chave de ouro! Já esperava que Black Dynamite, paródia dos antigos blaxploitations, fosse tudo isso. Todas as peculiaridades que fizeram do gênero uma referência estética e cinematográfica são exageradas propositalmente, criando uma espécie de caricatura.

A história segue a consagrada fórmula da década de 70: basicamente, é sobre vingança. Mais ainda, trata da luta solitária de um justiceiro contra traficantes e mafiosos. Black Dynamite é um anti-herói sinistro: ex-agente da CIA, temido por todos, praticamente invencível, mestre na arte do kung fu e irresistivelmente atraente. Quando recebe a notícia da morte do irmão, até a polícia teme o banho de sangue que está por vir.

Logo de cara, o diretor Scott Sanders deixa claro que a intenção é escrachar os clichês. Por isso, na sequência inicial, o microfone vaza escandalosamente. Ao longo da projeção, uma série de pequenas falhas, comuns em produções de baixo orçamento, são inseridas propositalmente. O roteiro é meticulosamente esburacado, os diálogos são inacreditavelmente manjados e os atores suam para forçar a barra nas interpretações. Um verdadeiro deleite para os fãs dos antigos blaxploitations.

Black Dynamite é infame, diferente e jocoso. Há muito tempo não me divertia tanto numa sala de cinema!

No site da M..., a resenha fala um pouco mais sobre o que foi o blaxploitation. Quem quiser ler, clique aqui!

3 comentários:

Kamila disse...

Imagino que tenhas gostado muito desse filme, uma vez que você já falou aqui no Cinéfilo, Eu? de obras do gênero blaxsplotations.

E o balanço final do festival, vai ter???

Beijos! Parabéns pela completa cobertura!

T1460 disse...

Não estou muito familiarizado com os blaxploitations, apesar de conhecer um pouco sobre o gênero, mas sátiras são sempre bem-vindas. O problema é não entender piadas específicas, mas imagino que isso não afete a diversão.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, obrigado por ter acompanhado a cobertura que eu fiz! Eu deveria fazer um balanço, né? Mas ando tão atolado... rs...

T1460, de fato, há piadas que são mais assimiladas por quem está familiarizado ao gênero. Mas eu duvido que a plateia que foi conferir o filme fosse assim. E o que se ouvia de gargalhadas, daquelas rasgadas...

Bjs e abs!