sexta-feira, outubro 09, 2009

#116 - Tyson, de James Toback



Quando eu era moleque, Mike Tyson estava no auge da carreira. Aguardava as lutas na televisão, já de madrugada, ansioso. E a maioria delas costumava terminar em menos de dois minutos. No videogame, em Mike Tyson’s Punch-Out, do Nintendo, era preciso passar por todos os outros personagens para enfrentar Tyson. Tarefa quase impossível, não fosse uma sequência de comandos no controle que dava acesso direto à luta. Ainda assim, encaixar um golpe no sujeito era tarefa árdua. E se o jogador levasse apenas dois socos, era game over.

O documentário Tyson traz à tela um pugilista com uma capacidade de autocrítica impressionante. O ex-campeão dos pesos-pesados, outrora o homem mais temido do planeta, abre a guarda para falar abertamente sobre algumas das passagens mais duras e tempestuosas da sua carreira, como o conturbado casamento com a atriz Robin Givens, o uso de drogas, a derrota para James “Buster” Douglas, a condenação por estupro e até a mordida na orelha de Evander Holyfield.

Durante uma hora e meia, Tyson não para de falar! Chega até mesmo a chorar - em uma mecânica realmente bizarra - quando lembra de seu primeiro treinador, Cus D'Amato, morto antes que ele levantasse o cinturão de campeão. A montagem podia ajudar a narrativa a fluir melhor, mas também não compromete. Quem se acostumou a ver Tyson enfrentando os maiores pugilistas do mundo, vai achar interessante vê-lo lutar contra o seu maior oponente: ele mesmo.

Outra versão da resenha lá no site da M... Quer ler? Que bom! Então, clique aqui.

4 comentários:

Kamila disse...

Eu li ótimas opiniões sobre esse documentário. Como acho o Tyson um personagem interessante, devo conferir o filme!

T1460 disse...

Documentário sobre Tyson é sempre bem-vindo. Eu também acostumava acompanhar lutas dele, mas após o famoso auge.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, eu tenho minhas ressalvas quanto à montagem do doc. Mas o personagem é tão interessante, que vale a pena!

T1460, eu peguei o auge mesmo! Ficava acordado até tarde para ver a luta e tudo acabava em um minutinho. Sem contar o jogo do Nintendo, que era muito bacana!

Bjs e abs!

Surfista disse...

As lutas do Tyson eram eventos na TV. Até o Galvão Bueno transmitia.

PS. Não conheço um único ser humano que tenha vencido o Tyson em Myke Tyson's Punch-Out