sexta-feira, setembro 11, 2009

#95 - High School Band (Bandslam), de Todd Graff


Mais uma estreia desta sexta-feira. Não repare nos dois títulos em inglês ali em cima - é que a estratégia aqui no Brasil é pegar carona naquela famosa franquia adolescente. Um equívoco total, pois High School Band não é uma merda. Até que é um filme regular. As referências são as melhores possíveis. Entretanto, não foge da fórmula manjada. E na hora da música... desafina! Veja um esboço do que eu escrevi para a Revista Programa, do JB.

Aproveitando a franquia de musicais adolescentes rodados em colégios, High School Band (que em inglês se chama apenas Bandslam) tenta dar uma roupagem mais rock e menos pop ao sonho de estrelato da garotada. O roteiro conta a história de um jovem que usa seus conhecimentos teóricos sobre música para ajudar uma banda a vencer um disputado concurso.

O filme começa bem, com uma série de citações a ícones do rock, como David Bowie, Velvet Underground e Violent Femmes. Tinha tudo para dar certo. O problema é quando surgem os números musicais. O que se vê na tela são sequências bastante exageradas, que rompem com a linha “rebelde” proposta no argumento. High School Band acaba caindo no excesso típico da maioria dos filmes voltados ao público teen - o que justifica o oportunista título em português.

PS: em breve, um texto falando sobre como o rock é mal interpretado nas telonas.

8 comentários:

jeff disse...

Você assistiu! Fiquei surpreso. Ossos do ofício é? xD

Apesar da Lisa Kudrow no elenco [que pouco deve aparecer, aposto], não tenho coragem, não tão cedo, pelo menos. Ao que parece, o filme pelo menos não é uma bomba. Mas o título brasileiro é dos piores e dos mais oportunistas.

[]s!

Vulgo Dudu disse...

Pois é, Jeff... Ossos do ofício. Mas o filme é regular. Se não descambasse pra essa coisa megapop, seria até interessante. Tem Bowie, Ramones, Violent Femmes e até o CBGB's! O título em português é um equívoco total, pois vai afastar muita gente das salas de cinema...

Abs!

T1460 disse...

Este provavelmente é o filme que você citou na resposta da resenha anterior...

Se aparecer por aqui, talvez eu veja!

E aguardo o texto sobre a má interpretação do rock no cinema.

Alex Gonçalves disse...

Eu sou daqueles que não tem preconceito algum com esse tipo de entretenimento, já que também sei que esta produção nada tem a ver com "High School Musical". Estou muito curioso para saber como é que funciona os números musicais e acho Lisa Kudrow uma deusa!

Abraços!

Vulgo Dudu disse...

T1460, exatamente. Em breve eu publico o texto. Essa coisa pop sempre mela o rock na telona.

Alex, e qual seria "esse tipo de entretenimento"? O filme escorrega justamente nos números musicais. A apresentação da banda famosa no colégio, que abre o filme, é constrangedora. Ainda que tenha boas referências, das bandas que eu cresci ouvindo e tocando, o filme acaba melado pela megalomania pop. Não é ruim. É regular. Uma pena, porque poderia ser bem legal.

Abs!

Ciro Hamen disse...

David Bowie, Velvet Underground e Violent Femmes? Nossa. Fiquei impressionado. Até deu alguma vontade de ver... hahaha

Abraços!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, quis dizer esse tipo de entretenimento voltado ao grupo jovem, com personagens adolescentes. Acho que a crítica e parte do público lida com esses títulos de forma muito agressiva, sendo que não passa de entretenimentos inofensivos que tem lá o seu valor. Bem, mas não sei se de fato é o caso de "Bandslam".

Vulgo Dudu disse...

Ciro, não é? Aí você pensa: bom, se o moleque tem essas referências ótimas, vai produzir uma banda ótima, puxando para as influências citadas. Mas não é nada disso. Há cenas de música constrangedoras. E apesar disso, o filme nem é tão ruim assim. Poderia ser bem melhor - é essa a impressão que realmente fica.

Alex, acho que, quando falam mal do filme adolescente, muitas vezes nem é questão de ter preconceito. É opinião mesmo, o famoso "gosto", que se discute, sim. Confesso: eu só o vi porque fui pautado para isso. Se fosse por livre arbítrio, passaria longe. E eu estava até gostando do filme - e olha que ainda é dublado, ou seja, assumidamente infanto-juvenil. O que eu não gosto nos filmes adolescentes, e aí já não posso falar pela maioria da crítica que talvez seja mais ríspida e exigente, é a maneira com que tratam o espectador, de que idade ele seja, menosprezando sua capacidade de discernimento. Oferecendo os enlatados, como em determinado momento do filme, o roteiro de Bandslam faz. Engraçado é que o filme tinha tudo para me conquistar: adoro Ramones, Violent Femmes, Bloc Party, Velvet Underground e outras bandas que aparecem como referências. Ou seja, poderia ter o seu valor, mas é como uma ação desvalorizada: fecha o "pregão" em forte queda. rs...

Abs!