domingo, agosto 09, 2009

#80 - Coffy, de Jack Hill


Uma geração de espectadores conheceu Pam Grier através das lentes de Quentin Tarantino, quando o diretor resolveu dar uma reanimada na carreira da atriz com o ótimo Jackie Brown, de 1997. Muito antes disso, a moça já era uma estrela dos blaxpoitations, produções estadunidenses sobre o universo dos negros da década de 70 que envolviam drogas, violência, sexo e a nata da black music.

O melhor filme de Pam Grier talvez seja Coffy, de 1972. Trata-se de uma excelente história sobre vingança que carrega um forte tom crítico. Grier interpreta Coffin, uma enfermeira (e que enfermeira!) que perde a irmã para as drogas. Resolve, então, se vingar matando todos os envolvidos no submundo dos narcóticos, de traficantes a políticos. Utilizando-se de toda a sua sensualidade, Coffy vai se infiltrando em organizações bastante poderosas e perigosas.

O roteiro é muito interessante e reserva ótimos momentos de ação, fugindo de previsibilidades. Os diálogos são brilhantes e as cenas de violência, criativas. A trilha sonora é uma atração à parte, com canções compostas especialmente para o filme. Funk, soul e black music da melhor qualidade.

Pam Grier está realmente estonteante e rouba a cena. Bem fornida e de silhueta curvilínea, estava no auge de sua carreira. Um bombonzinho! A moça era tão elegante que, apesar de aparecer nua várias vezes durante o filme, se recusou a posar para a Playboy.

3 comentários:

Kamila disse...

Pam Grier!!! Depois de Jackie Brown, a mulher sumiu completamente....

Beijos!

T1460 disse...

Pertenço ao conjunto dos que conheceram Pam Grier no filme do Tarantino!

Vulgo Dudu disse...

Kamila, sumiu mesmo! Mas ela está divina nesse filme. Vale o confere!

T1460, eu também! A nossa geração conheceu a moça por causa do Tarantino.

Bjs e abs!