segunda-feira, agosto 03, 2009

#78 - Beneath the valley of the Ultra-Vixens, de Russ Meyer


Não tem jeito: quando o assunto é comédia erótica, Russ Meyer é o cara! Em sua penúltima produção (a mais recente foi lançada em 2001), o diretor continua a combinar sua estética apurada com os fetiches dos estadunidenses médios. Portanto, é um filme de peitos. Muitos peitos. Enormes peitos. Porém, há detalhes que fazem de Beneath the valley of the Ultra-Vixens um filme diferente.

O roteiro conta a história de Lamar, um sujeito que trabalha no ferro velho de Small Town - uma típica cidade pequena do interior dos EUA. Ele é casado com a fogosa, peituda e insaciável Lavonia. Porém, o casal enfrenta um pequeno problema sexual: Lamar só consegue ter prazer com sexo anal, prática que acaba deixando sua mulher insatisfeita. Logo, vão atrás de ajuda para resolver a questão. Tipos como um dentista gay e uma locutora de rádio evangélica e ninfomaníaca são apenas alguns dos inusitados conselheiros que tentam curar o pobre coitado.

Os planos e as sequências levam a assinatura de Russ Meyer, bem como os divertidos diálogos cheios de duplo sentido e sessões de coito histérico. Entretanto, trata-se de um filme um pouco mais ousado. Aqui, há nu frontal masculino, com direito a close up na ponta do órgão reprodutor masculino. A religião e os seus dogmas são esculachados como nunca. Eufala Roop, a pastora radialista, tem o maior par de peitos do filme (realmente impressionante) e usa uma banheira para transmitir ao vivo suas sessões de "descarrego".

De quebra, participação especial de SuperSoul, a inesquecível Uschi Digard, que também aparece no clássico Supervixens. A atriz ajudou a consolidar, na década de 70, a fama das atrizes suecas.

Russ Meyer é o cara!

7 comentários:

Kau Oliveira disse...

Vergonha. Não vi nada de Russ Meyer, Dudu. Mas digo que tenho um certo problema com um cinema que tange demais o erótico. Por exemplo - mas que não tem NADA a ver com Russ: eu ODIEI Império dos Sentidos; o qual alguns classificam como uma obra-prima...

Abs!

Kamila disse...

ADOREI o nome do filme!! rsrsrsrsrsrrsrrsrsrs

altieres bruno machado junior disse...

Olá Eduardo

kkkkkkkk só você mesmo para encontrar essas pérolas do cinema. Pensei já ter visto de tudo. Pelo poster do filme já dá pra ver que tem muitos peitos : )
Vi um filme nesse estilo recentemente, o legal é que é super comédia. Tinha cenas hilárias...

Abraços e até mais.

T1460 disse...

Nunca vi filmes de Russ Meyer, mas sempre vejo elogios seus aos filmes dele. Preciso anotar aqui, e procurar por eles.

Luiz Henrique Oliveira disse...

Eu nunca tinha ouvido falar de Russ Meyer, sério. Mas lendo tua crítica me deu uma vontade doida de ver os filmes do sujeito. E não é pela pseudopornografia que aparenta ser, mas é que eu tenho idolatria por roteiros assim, esculachados e com duplo sentido: sempre rendem boas comédias.

Bem, estou voltando (de novo), eu era do Tomates Virtuais, mas cá estou de endereço novo. Um abraço!

Airton disse...

opaa
enm tinha ouvido fala em heheh
curti o texto
passa nu blog
abraço cara

Vulgo Dudu disse...

Kau, de fato, não tem absolutamente NADA a ver! rs... O Russ Meyer usa o pornográfico como estética. É um exímio diretor que tem a sua marca registrada. Inconfundível. Vale a pena você pelo menos conhecê-lo.

Kamila, os nomes são realmente ótimos. Ainda tenho aqui para ver o Beyound the valley of the dolls!

Altieres, fiquei curioso. Que filme era esse que você viu?

T1460, eu sou um grande admirador do trabalho do cara!

Luiz Henrique, bem-vindo de volta! Preciso atualizar meus links. Os roteiros do Russ Meyer, com certeza, serão um prato cheio para você!

Airton, eu acho que você vai gostar dele...

Bjs e abs, pessoal!