segunda-feira, julho 27, 2009

Luz, câmera... canção! - Nuclear Assault

Outra noite estava com uns amigos aqui em casa, bebericando margueritas e jogando conversa fora. Deixei minha coleção de MP3 tocando aleatoriamente como fundo musical, em baixo volume. Foi então que, quando a pasta Heavy Metal foi acessada, precisei aumentar o volume. Ouvimos clássicos de bandas como Anthrax, Megadeth e Death Angel, que tanto amávamos quando tínhamos espinhas na cara, poucos pelos pubianos e buço. Nuclear Assault também estava no cardápio.

Lembrei-me de quando tinha 13 anos, o cabelo comprido (eu bem que tentava deixá-lo comprido, apesar dos fios desafiarem a lei da gravidade), andava de preto e passava muitas tardes, após a aula, na Hard'n'Heavy - loja especializada no gênero. Nessa época, a MTV cumpria o papel de tocar videoclipes. Um dos meus programas preferidos era o Gás Total, apresentado por Gastão Moreira, dedicado ao metal. Foi lá que eu conheci o Nuclear Assault, uma banda de thrash metal das mais singulares, preocupada com questões ambientais e sociais.

O vídeo de "Trail of tears" é triste. Conta a história de um jovem rebelde, incompreendido pela sociedade e abandonado pela namorada, que acaba se viciando em cocaína. A droga o leva ao tal caminho das lágrimas. O visual é bem anos 90, com direito à jaqueta de couro e cabelos esvoaçantes. John Connely, o ruivão vocalista e guitarrista, usa sua voz aguda e rouca, tipo Janis Joplin, para enfatizar o lado dramático do vício. Detalhe para um tigre de pelúcia preso à alça da sua Flyng V (isso sim é um intrumento metal). De resto, tem solinho cheio de efeitos e cabeças balançando de um lado para o outro.

Do jeito que a gente gostava. Saca só...

10 comentários:

Raphael disse...

Po, pq o "gostava" no passado??? Pelo visto a gente tinha um gosto parecido e eu tb passava horas na H&H, ainda tinha os esquemas de gravar fitas dos bootlegs que eu não tinha bala pra comprar... Mas até hoje de vez em quando ouço os discos velhos (meus tops: Metallica kill em all e ride the lightning, Pantera vulgar display, Slayer, Anthrax e sempre Black Sabbath que era uma praia meio diferente). Abs!

Kamila disse...

Heavy Metal não é minha praia, mas eu ADORO esses nomes das bandas do gênero. :-)

Beijos!

Pedro Henrique disse...

Demais! Não é meu tipo de som, mas gostei desse vídeo.

Abs!

tHIAGO gOMES disse...

é, heavy, TB não é minha praia!!
mas curto seu blog, ler as resenhas de filmes é sempre bom!!!
filmes é uma grande influencia pra min!
abraço!

Vulgo Dudu disse...

Barboza, eu não disse que "gostava". Disse que "amava", no passado. De fato, não amo mais - o que não quer dizer que de vez em quando eu não escute! Provavelmente a gente deve ter esbarrado lá na Hard'n'Heavy, na MarquÊs de Abrantes. Eu ia toda sexta-feira depois do colégio. Sobre os álbuns, do Metallica eu gosto mesmo é do "And justice for all". Acho que ali está o conceito de álbum que eu tanto prezo. Músicas com coesão, longas e bem trabalhadas. Disco duplo, capa caprichada... Um clássico!

Kamila, é verdade! Às vezes os nomes são mais interessantes do que o próprio dom das bandas! Mas nem é o caso do Nuclear Assault...

Pedro, é datado, mas é interessante, né? Eu gosto mesmo é do tigre de pelúcia... rs...

Thiago, bem-vindo por aqui e obrigado pelo comentário! Eu procuro mescclar sempre as resenhas de filmes com clipes de músicas. Até mesmo porque não deixa de ser um curta, não é? Volte sempre!

Bjs e abs!

Raphael disse...

É... o Justice é realmente o melhor deles. Foi um dos que eu mais ouvi em toda a minha vida. Citei os 2 primeiros pq são os mais trash com som de garagem mesmo. Só acho que, sem o Cliff, eles colocaram o baixo no mínimo. Ignoraram completamente o então novo baixista, Jason Newsted (no doc Some Kind of Monster explica bem). Esse lance de musicas mais trabalhadas começou no Master, ficou naturalmente mais forte no Justice e foi abandonado no Black Album. O álbum dos sonhos seria o seguinte ao Master, mas com o Cliff.
Enfim, é papo pra uns chopes... :)

T1460 disse...

Sou apaixonado por metal, e poderia dizer que Thrash Metal é meu estilo preferido há um bom tempo, mas conheço esta banda somente por nome. Não me lembro de ter ouvido nada deles antes deste clipe, que gostei.

Concordo que os temas ambientais são raros neste meio, mas os temas sociais são muito freqüentes entre as bandas de Thrash Metal, principalmente pela ligação do estilo com o Hardcore. No metal, de forma geral, concordo que não são muito comuns.

T1460 disse...

E o estilo não tem nada a ver com este, mas suponho que você conheça Rammstein. Eu adoro os clipes deles. Caso não tenha visto e se interesse, aqui tem uma lista de reprodução com todos os clipes legendados em português: http://www.youtube.com/view_play_list?p=14269FDC393175C8

Alguns dos melhores, para mim, são "Amerika", "Engel" e "Rosenrot".

Vulgo Dudu disse...

Barboza, acho que da galera do basquete somos os únicos que tomam cerveja, hein? Eu concordo com você sobre a evolução do Metallica. Tanto que já fui muito criticado por dizer que o "Black album" é uma merda. Acho uma merda. Completamente pasteurizado e sem sal...

T1460, minha monografia de fim de curso foi sobre o metal - todos os estilos e derivações. E realmente, o thrash é realmente o estilo que corta a onda das narrativas medievais, que eram muito comuns ao heavy clássico. Conheço Rammstein, mas eles já seguem por um caminho mais industrial, né? Não sou tão fã assim... Legal perceber que todos aqui tem algo em comum na música também - além do gosto pelo cinema!

Abs! Metaaaaaaaaaaaaaaaaaal!

T1460 disse...

Também não gosto muito do estilo do Rammstein, mas gosto de uma ou outra banda ligada ao metal industrial. Um show deles, por exemplo, eu ainda gostaria de ver.