domingo, julho 05, 2009

Luz, câmera... canção! - Lady Pank

Lady Pank é uma banda polonesa lá da década de 80 que não fez muito sucesso aqui no Brasil. Fazia um som proto-punk típico da região do leste europeu, com influências que mesclavam o rock inglês com a cultura cigana. A música mais conhecida dos caras, que talvez muita gente já tenha dançado em alguma festa mais obscura sem saber (se eu era o DJ, você já deve ter balançado o esqueleto ao som dessa), é "Minus Zero".

O clipe é muito doido! Tem um tanque rosa e gente comendo linguiça, além dos modelitos de guitarras, luvas e polainas sensacionais da época. Ou seja, é um típico exemplar do movimento pré-punk do leste europeu. Infelizmente, ele perde a sincronia lá na metade, mas nada que comprometa a sua diversão. Eu demorei muito tempo para perceber em que língua a música era realmente cantada. Achava que era uma mistura - hora em polonês, hora em inglês. Por isso, para facilitar a vida dos meus queridos leitores, eis a letra aqui. O vídeo, vai aí embaixo.Vale o confere.



Porém, minha história com a canção que fala sobre as modelos de Ulla é, digamos, inusitada.

Era o fim da década de 90. Eu estava em uma festa à fantasia bem chinfrim, em pleno Dia das Bruxas, num casarão de uma chácara em Campo Grande, aqui no Rio. Era numa região bem remota, longe da civilização. O que vale dizer que não havia escapatória. Como as músicas eram péssimas, as pessoas eram estranhas, o clima era de monotonia e a cerveja estava gelada, fui tratar de encher a cara até ficar completamente bêbado. Horas tantas, bateu o inconveniente de tanta bebida: me deu vontade de esvaziar a bexiga. Porém, não conseguia encontrar a porcaria do banheiro. Perguntei a um sujeito se ele sabia onde poderia despejar minha urina e ele me disse para usar a parede. Isso mesmo, você não leu errado. A parede do casarão seria o meu penico. Abri o zíper e mandei ver.

Não sei se o que vou narrar aqui costuma acontecer com alguém. Comigo, acontece sempre. Enquanto estou urinando, não sei por que cargas d'água (ou de xixi), não importa o nível de álcool no sangue, fico completamente sóbrio. Sou capaz de realizar cálculos mentais e de racionalizar com extrema sobriedade qualquer assunto. Porém, tudo acaba com a última gota, aquela da cueca. Volto à embriaguez total. Naquela festa, enquanto estava lá molhando a parede, o desgraçado do DJ tocou "Minus Zero". Na mesma hora, racionalizei:

Putz, eu adoro essa música, mas não sei o nome. O pior é que, quando acabar aqui, vou me esquecer dela. Se decorasse o que o sujeito está cantando, poderia catá-la na internet!

Dito e feito: assim que a última gota tocou a cueca, fiquei bêbado de novo e me esqueci o que o sujeito cantava. Lembrava-me apenas de ter um numeral no refrão (no caso, o zero). Nos dias seguintes - diria que foram até meses - tentei procurar a música usando diversas variações: million miles, thousand years, million years, hundred miles etc. Nada.

Foi então que, já desencanado da busca, numa dessas noites comuns, sonhei com a dita cuja. E era possível ouvi-la com total nitidez: minus zero! Minus Zero! Acordei com o refrão na cabeça e cheguei até a conferir se não havia feito xixi na cama. Lençol seco, pulei para a frente do computador, achei o nome da banda, o nome da música e o mais importante: o MP3!

Desde então, tenho ela como a música do meu inconsciente. Toco em quase todas as festas, ainda que poucas, em que sou DJ. E as pessoas curtem! Até um segurança de uma boate, uma vez, veio me perguntar o nome da banda. Disse ele que dançava muito essa música numas festas da década de 80, que aconteciam debaixo de um viaduto, em Madureira.

Ô ô ô ô!

4 comentários:

Gabriel Von Borell disse...

Cara , tem selo lá no Um Olhar Além da Tela pra voce !

Abraços .

Airton disse...

eaee cara
dexei um selo pra vc

eskeci de avisa
hsuahsuasha

pega la

Rics disse...

Cara, tinha esquecido desse seu lapso de sobriedade na hora do xixi. É muito engraçado isso! Você tinha me contado uma vez e eu quase tive um treco de tanto rir, igual agora quando lembrei da história toda. kkkkkkkk

Vulgo Dudu disse...

Gabriel e Airton, agradeço muito pela indicação de vocês! É muito bom saber que este humilde espaço lhes agrada. Obrigadão! Voltem sempre, por favor.

Rics, pois é, continuo assim. Se bem que, atualmente, ando feito uma esponja: bebo, bebo, bebo e não fico bêbado. O que tem lá seus pontos negativos, né? O fígado agradece!

Abs!