sábado, maio 02, 2009

Radiola Vacilante #3 - Na mansão Frota


Está no ar a Radiola Vacilante #3, gravada em minha suntuosa residência. Recebi, na décima-segunda hora, uma trupe do mais alto nível. Coisa fina: o crème de la crème da sociedade carioca. Participações especiais do amigo e músico Patrick Laplan e da cônjuge do Peter, a antenada Fernanda Prado.

Durante a gravação e o comes-e-bebes, o bom papo de sempre: cinema, música e trivialidades. Para escutar, clique aqui!

Espero que seja tão divertido para vocês, caros ouvintes, quanto foi para nós, os vacilantes!

9 comentários:

nitzombies disse...

a trilha sonora é de qualidade, hein?

mansão frota... o nome é uma homenagem ao lendário mestre Alexandre Frota?

huahua

nitzombies disse...

ah... acabei de ver que não... huahua
mas tá valendo

Pedro Henrique disse...

Maravilha. Continuem assim!!!

Kamila disse...

Hum, esse Radiola veio bem recheado, hein? ADOREI!!!!!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, estou iniciando neste exato momento o download do Radiola Vacilante para depois ouvir no meu MP3. E sobre Zellweger, sugiro que você veja "A Enfermeira Betty", do ótimo Neil LaBute. É uma comédia-romance-suspense-drama maravilhosa! Depois retorno aqui para falar o que achei da gravação.

Abraços, excelente semana!

Vulgo Dudu disse...

Nitzombies, nem tem ligação com o Alexandre Frota. Ficaria parecendo uma mansão do sexo, né? Tipo Playboy Mansion. Ah, também não tem a ver com o Marco Frota. Ou seja, nada de circo também... rs...

Pedrão e Kamila, valeu o apoio! Obrigadão!

Alex, valeu pela força também, cara! Conto com suas impressões. Vou ficar aguardando o retorno. Quanto à Zellweger, eu nem acho a A Enfermeira Betty tão bom assim. Inclusive, não é nem de longe tão foda e impactante quanto os primeiros trabalhos do Neil LaBute. Porra, o cara dirigiu um dos filmes mais malvados e cínicos que eu já vi, o fodão Na companhia de homens. E mais: prefiro o cara como dramaturgo do que como cineasta. Baque é um dos textos mais cruéis já pensados pela mente humana - e vê-lo encenado foi uma experiência absurdamente inesquecível!

Bjs e abs, pessoal!

maria disse...

Mais tarde entro aqui pra ler melhor sobre as novidades e te envio um e-mail falando sobre a trilha, ok?

Alex Gonçalves disse...

Dudu, terminei de ouvir agora. Estava ouvindo desde quando sai do trabalho, mas a bateria do MP3 acabou do nada e tive que terminar de ouvir depois que cheguei da academia. O que acho engraçado nesse bate-papo é que vocês circulam por inúmeros temas, iniciando por filmes ruins e passando por famosos e as suas adoções, sovaco fedido, chefe evangélico e por aí vai... Particularmente, gostei mais da conversa acerca dos filmes de David Lynch e Lars Von Trier e de longas bizarros. Aliás, eu tenho uma mórbida curiosidade em assistir "Cannibal Holocaust", mas depois que fiquei sabendo que foram confirmados os boatos em relação do uso de animais e o seus sacrifícios em cena eu mantive distância total do filme. Acho isso de uma crueldade tamanha. Vale lembrar que Von Trier quase fez o mesmo em "Manderlay", quando ia usar um burro e sacrificá-lo no set. Deu que isso rendeu uma enorme confusão e, felizmente, o diretor optou somente por mencionar esse acontecimento, e não encená-lo. Eu não me recordo de ter ficado totalmente chocado com um longa, mas um exemplo recente que me vem em mente neste exato momento é o francês "A Invasora". Talvez seja o filme do qual mais joga sangue na tela que eu já vi em toda a minha vida. Mas não há longa que me deixe mais traumatizado do que "A Bruxa de Blair" (quando assisti pela primeira vez passei três noites em claro, algo que nunca me aconteceu). "Eraserhead" também é muito bizarro e eu também questionei como Lynch foi capaz de criar aquele mecanismo que, na verdade, é um feto. Mas eu não gosto do filme. E "Império dos Sonhos" eu também não gostei.

E eu tenho em VHS o filme "Na Companhia de Homens", mas foi uma aquisição bem recente para o meu acervo, não consegui tempo para vê-lo. Mas é uma pena que você não goste tanto assim de "A Enfermeira Betty". Este é outro título que há no meu acervo e que pretendo rever em breve.

Obs. 1: dessa vez não tive problemas com o áudio, saiu tudo perfeito!

Obs. 2: alcoólatras! XD

Abraços!

Vulgo Dudu disse...

Maria, valeu pelas informações! Obrigado!

Alex, a proposta é essa: não ter muito pauta, fazer a conversa semanalmente. Os assuntos vão surgindo... Cara, eu vi Bruxa de Blair numa pré-estreia à meia-noite numa sala de cinema bizarra, quase abandonada, aqui perto de casa. Foi uma experiência empolgante. Adoro esse filme! Minha dica: veja HOJE mesmo Na companhia de homens. É foda demais! Cara, muito obrigado pelo apoio ao podcast!

Bjs e abs!