domingo, maio 31, 2009

#56 - O retorno dos mortos-vivos (Return of the living dead), de Dan O'Bannon


Quem disse que filmes de zumbis não podem ser divertidos? Seguindo o que convencionou-se chamar de terrir, um gênero que mistura terror com comédia, A volta dos mortos-vivos se tornou um verdadeiro clássico dos filmes B. Diálogos surreais, referências aos clichês do horror e muito punk rock fazem desta sátira uma das produções mais divertidas sobre os comedores de cérebros.

Mais de 15 anos depois do sucesso de George A. Romero, A noite dos mortos-vivos, Dan O'Bannon inaugurou uma franquia que renderia mais duas sequências - que, na minha opinião, não chegam aos pés do precursor. Aqui, dois sujeitos que trabalham em uma espécie de loja de materiais médicos, que vende de próteses à cadáveres, liberam sem querer o gás tóxico que reanima os mortos, o mesmo que foi recolhido pelo exército no clássico de 68. Na tentativa de se livrar de um morto-vivo e encobrir os fatos, acabam acordando todo o cemitério ao lado, que sugestivamente tem o nome de Ressurection Cemitery. Daí em diante, é só diversão. E alguma escatologia, obviamente!

O roteiro segue a linha catastrófica: um grupo de pessoas acaba ficando preso em um necrotério, cercado pelos mortos vivos. O interessante em A volta dos mortos-vivos são os personagens. Parte das vítimas faz parte de um grupo de jovens punks desajaustados. Portanto, a trilha sonora traz o melhor do punk rock e do hardcore da década de 80, como TSOL, Cramps e The Damned. James Karen e Thom Mathews, que interpretam os dois culpados, fazem um belíssimo trabalho de comédia e roubam a cena! São responsáveis pelas melhores sequências.

O'Bannon trabalha bem os seus zumbis. Diferentemente dos de Romero, os seus já se encontram em decomposição e gritam por cérebros. Braaaaaaaaaaains! Para incentivar a multidão de mortos-vivos a dar maior credibilidade à ação, reza a lenda que ele comeu cérebro de carneiro cru antes de convencer os figurantes a mastigar a iguaria em frente às câmeras. Verdade ou lenda, sua direção é precisa.

O desfecho, completamente preguiçoso, mas extremamente criativo, fecha a produção com chave de ouro. Um clássico! Revê-lo ao lado de amigos, petiscos e caipirinhas foi uma experiência bem agradável. Recomendo!

7 comentários:

Kamila disse...

Eu gosto de filmes de zumbi, mas não vi nem esse longa nem "A Noite dos Mortos Vivos".

T1460 disse...

Terror com zumbis é ótimo. Comédia com zumbis é excelente. Adoro este "tipo" de filme. Normalmente rende ótimas situações.

Ciro Hamen disse...

Gostei da dica, Dudu. Fiquei com muita vontade de ver. Abraços!

nitzombies disse...

fantástico, eh um dos meus filmes de zumbi preferido.

como vc falou, eh uma mistura de terror, trash e comédia e com muita competencia. a direção é muito acima da média pra um filme desse tipo.

classico!

Vulgo Dudu disse...

Kamila, sugiro que você faça uma maratona, exatamente como estou fazendo com minh amulher. Comece pelo clássico de 68 e depois parta pra essa trilogia. Braaaaaaaaaaaains! rs...

T1460, rende mesmo! O filme é muito bacana, um cult!

Ciro, corre atrás que você não vai se arrepender!

Nitzombies, tava na cara que você gosta desse, né? hahahaha! Fã de filmes de zumbis que é...

Bjs e abs!

Surfista disse...

Sensacional!

Não é esse que tem uma sequencia onde os mortos-vivos estão vestidos como os zumbis do clipe "Thriller", do MJ?

Vulgo Dudu disse...

Dougra, esse da cena do "Thriller", ótima, é o segundo! É também divertido, mas esse primeiro é melhor.

Abs!