sábado, abril 25, 2009

#46 - Tony Manero, de Pablo Larrain


Pela sinopse até parece mais um daqueles filmes independentes leves, caricatos, divertidos. No Chile dos anos 70, debaixo de ditadura, um sujeito obcecado por Tony Manero e sua coreografia em Os embalos de sábado à noite tenta, a todo custo, vencer um concurso de imitadores do personagem de John Travolta. O que esqueceram de dizer, e aí é que a coisa fica interessante, é que o protagonista tem hábitos bem incomuns. Trata-se de um serial killer!

Pablo Larrain assina a direção de Tony Manero (co-produção brasileira), seu segundo longa, e mantém o clima soturno, mórbido e imprevisível do primeiro trabalho. Com um roteiro eficiente em mãos, filma com naturalidade um Chile esquecido e miserável, onde é preciso se apegar a qualquer fio de esperança. Raúl Peralta (o excelente Alfredo Castro), o imitador de John Travolta em questão, é feio, sujo e mal ajambrado. Vive em uma espécie de cortiço que abriga, no andar de baixo, um restaurante. Ao lado de outros aspirantes a dançarinos, coreografa números para serem apresentados no recinto, objetivando atingir um estrelato que parece muito distante.

A linha psicológica de todos os outros personagens que fazem parte da história também é muito bem trabalhada. O diretor não poupa o espectador de experimentar o efeito da dura realidade imposta pelo governo opressor de Pinochet nas camadas mais baixas da sociedade chilena. As cenas de sexo são frias, intensas e violentas. Não há corpos bonitos e nem plasticidade alguma. Há também certa dose de escatologia perfeitamente enquadrada pela câmera. Os assassinatos são cruéis, diretos, sem precisar mostrar muita coisa.

Um filme denso, escuro, porém muito "maneiro"!

8 comentários:

T1460 disse...

Me interessei! Esse entra pra lista a ser vista.

Rafael Carvalho disse...

Cara, não tava nem um pingo interessado nesse filme, mas já li tanta gente elogiando que pretendo ver logo, logo. Mas acho que preciso assistir a Os Embalos de Sábado à Noite primeiro.

Outra coisa. Vi esses dias Sinédoque, Nova Iorque e achei bem fraquinho. A idéia é ótima, mas a direção do Kaufman me soou tão pretenciosa, tão intelectualizada que o efeito do filme se minimizou um bocado pra mim. Uma pena porque gosto muito dos roteiros do cara.

Valeu!!!

nitzombies disse...

Nossa... quando terminei de ler o primeiro parágrafo jah fiquei com uma imensa vontade de assistir. Originalissimo!!!

E é um filme bem desconhecido. Se não fosse pelo teu post eu não iria saber da existência dele. Dei uma olhada no imdb e só 373 deram nota pra ele.

Acho que não tá passando nos cinemas daqui... vou ter que encontra-lo por outos meios... ;)

Abraços.

Kamila disse...

MUITO legal a premissa desse filme e seu texto me deixou curiosa para vê-lo.

Beijos!

PS: Interessante como que, vendo pelo nome do filme, sem saber nada sobre ele, a gente pensa uma coisa completamente diferente do que a obra realmente é. :-)

Alex Gonçalves disse...

"O que esqueceram de dizer, e aí é que a coisa fica interessante, é que o protagonista tem hábitos bem incomuns. Trata-se de um serial killer!"

Vou botar para baixar agora!

Vulgo Dudu disse...

T1460, depois me diga o que achou!

Rafael, pois é: o argumento esconde um roteior bem mais interessante, que vai por outro viés. Quando ao Sinédoque, então, discordamos. Eu acho que a direção na medida certa. Quanto ao filme ter um certo peso intelectual, tem mesmo. Inclusive, há diversas citações a Proust, por exemplo. Mas não é um filme para as massas, e propõe boas reflexões.

Nitzombies, ele até que foi bem recebido pela crítica de modo geral. Não é um filme fácil, mas pelo conteúdo do seu blog acho que você vai gostar!

Kamila, e como é bom sermos surpreendidos, não é mesmo? Para mim foi uma grata surpresa esse filme!

Alex, mãos ao mouse!

Bjs e abs!

CINECLUBE disse...

quero ver!! quero ver!!
ainda to no ex estacao?
nem deu pra ir contigo...
isso me lembra uma muisca q tu deve conhecer da trilha do BOTINADA.
"EU ODEIO EU ODEIO EU ODEIO JOHNN TRAVOLTA.." sabe qual e?

nao que eu odeie ele...ate gosto hehehe
abracao
Beto

Vulgo Dudu disse...

Beto, eu vi com Elaine! Ficamos bem impressionados com o filme, positivamente. Conhecendo você e seu gosto pelo escatológico e diferente (eu também sou assim, né?), acho que você ia curtir bastante!

Abs!