sábado, março 28, 2009

#34 - Atraiçoados (Betrayed), de Costa-Gavras


Depois de ver dois dos indicados ao Oscar, Frost/Nixon e Milk, bati na tecla de que ambos não eram filmes de cunho verdadeiramente político, pois não exploravam de forma contundente o excelente argumento que possuíam. Repeti diversas vezes: filme político tem que dar tapa na cara! Exatamente como Atraiçoados, do mestre Costa-Gavras, faz.

E olha que tinha tudo para cair num melodrama romântico e deixar o argumento longe de ser devidamente explorado. Fico imaginando um roteiro desses nas mãos de um Ron Howard. Seria uma catástrofe. O longa serve como uma espécie de denúncia sobre os movimentos racistas nos Estados Unidos, que têm seus núcleos principalmente em pequenas cidades interioranas. Baseado em fatos reais, Atraiçoados conta a história de uma agente secreta do FBI que se aproxima de um fazendeiro suspeito de matar um polêmico radialista judeu. Ela acaba se envolvendo em uma trama sinistra que envolve a Ku Klux Klan, políticos influentes e forças paramilitares.

Esse foi o segundo filme de Costa-Gavras em solo estadunidense (o primeiro foi o espetacular Desaparecido). Famoso pelo conteúdo pungente, aqui é perceptível uma maior preocupação do diretor também com a plasticidade das cenas. O filme ganha ritmo à cada sequência. O casal protagonista conta com Tom Berenger, canastrão habitué dos telefilmes exibidos no Supercine, e Debra Winger, pitéu à época. Ela não rende o que pode, mas também não compromete. Ele é péssimo! Porém, o filme é tão bom e o assunto é tão perturbador, que as atuações não comprometem.


Visto em excelente companhia, aqui em casa: minha mulher, que milagrosamente aguentou firme até as duas horas da manhã, Bocão, profundo conhecedor de história e novelas, e Bianca, a mais nova integrada ao grupo.

Um excelente, esse sim, filme político.

6 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Não conhecia esse Costa-Gavras, como não conheço muita coisa dele. Mas acho Z uma obra-prima.

Kamila disse...

Conheço muito pouco do trabalho do Costa-Gavras e começar por esse filme deve ser uma boa pedida. :-)

Beijos!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, como tinha te falado no Twitter tenho esse em DVD e verei assim que juntar mais filmes com Debra Winger (já estou aqui com "Perigosamente Juntos", "Fé Demais Não Cheira Bem", "O Céu que Nos Protege" e já sei onde locar "Meu Nome é Rádio" - só queria encontrar também "Esqueça Paris!" :-() - e fico um pouco desapontado em ler que não foi neste aqui que ela detona. Não sou fã de filmes políticos, mas vamos ver se este desce.

Abraços, boa semana!

Museu do Cinema disse...

Costa Gravas da obra-prima Z!

Não vi esse, desencavou legal!

Vulgo Dudu disse...

Rafael, se há um cineasta que vale a pena explorar, já que você gosta de Z, é o Costa-Gavras!

Kamila, se eu fosse você começava por Desaparecido. Se bem que não tem muito isso, não... A maioria dos filmes dele é ótima.

Alex, pois é, as atuações nem são o destaque desse filme. Ela não compromete, de jeito nenhum, mas está longe de ser notável. O ruim é ter que aguentar o Tom Berenger, canastrão, horrível!

Cassiano, Costa-Gavras de várias obras-primas... rs... Esse filme é antigo mesmo, mas a temática continua atualíssima!

Bjs e abs!

Anônimo disse...

Excelente filme de Costa Gravas. Gostei da atuação de Tom Berenger e Debra Winger. Debra também atuou no maravilhoso Laços de Ternura.