segunda-feira, março 23, 2009

#32 - RocknRolla, de Guy Ritchie


Parece que a fonte de Guy Ritchie está secando. Quando um diretor é bom, espera-se que ele consiga se recriar, ir um pouco além, de certa forma inovar, seja no tema ou na técnica. O que acontece com Ritchie é que suas produções estão cada vez mais previsíveis.

O pessoal que se reuniu na casa do meu grande camarada Daniboy para uma sessão de RocknRolla, acompanhada de cerveja e amendoim, já sabiam o que esperar do filme. O seguinte: um monte de personagens mafiosos que, movidos por uma sucessão de erros, acabam envolvidos em um ciclo interminável de confusão. Tudo isso embalado por trilha sonora bacana e edição ligeira.

E foi isso mesmo que vimos. Dessa vez, o tema escolhido foi a máfia russa. Sete milhões de euros de um empresário inescrupuloso, que serviriam para pagar suborno a um vereador, não chegam às mãos de um agiota poderoso por causa de um grupo de ladrões mancomunados com uma contadora sexy e ardilosa. Basicamente, é isso.

Gostamos do que vimos? Sim, gostamos. Guy Ritchie é um bom diretor. Mas presica, urgentemente, de uma reciclada nas ideias.

11 comentários:

- cleber . disse...

Vou muito além com esse, pra mim um dos 5 melhores do ano !

Kamila disse...

Eu acho que a fonte do Guy Ritchie secou faz tempo... A verdade é que ele só sabe fazer filmes sobre as mesmas coisas.. Pior, é que, quando tenta fazer diferente (caso de "Swept Away"), dá tudo errado.

Beijos!

O Cara da Locadora disse...

Frustrante mesmo... Assim, disseram que o Guy tinha voltado e eu achei muuuito bestinha, é uma pena... :S

Ramon disse...

Perfeito o comentário. A gente encontra o que espera, mas só que com muito menos brilhantismo que suas obras anteriores tiveram.
Para falar a verdade, fiquei bem decepcionado.
Secou mesmo.

Abs!

Pedro Henrique disse...

Cara, adorei. O meu preferido dele, acredita?

Abraço!

Vulgo Dudu disse...

Cleber, estamos muito além um do outro em termos de opinião, também! rs... Porque pra mim esse aí não está nem entre os 100 melhores. Não é uma merda, de jeito nenhum. Mas é fraco, bem fraco.

Kamila, ele entendeu que o que ele faz de melhor é filme sobre o submundo do crime londrino. Mas já tá enchendo o saco, né? Outro desses e ele cai do cavalo.

Cara da locadora, então temos a mesma opinião. Mas pela capa já dá para perceber que é mais do mesmo.

Ramon, é bem por aí mesmo, né? Ruim não é, porque o cara tem a manha. Mas já cansou...

Pedro, sério que é o seu favorito? Eu prefiro mil vezes os anteriores, até sobre o mesmo tema, casos de Jogos, trapaças e dois canos fumengantes e Snatch.

Bjs e abs!

Patti disse...

ih, dormi no filme, mas porque já estava tarde... só dava uma espiada quando o pessoal soltava uma risada... quem sabe um dia comento.

Vulgo Dudu disse...

Pati, mas você também estava escorada no colo do namoradão... rs... Um convite ao sono, hein?

Bjs!

Rafael Carvalho disse...

Depois do péssimo Revólver, esperava coisa muito pior desse filme, mas não chega a ser de todo mal. Mesmo assim, também concordo que o Ritchie precisa de uma renovação urgentemente. E parece que já vem por aí com a direção dele no file sobre Sherlock Homes. Acredito que ele não é o roteirista (Yes!) e ainda tem o Robert Downey Jr. como ator principal. Tomara que preste!!

Vulgo Dudu disse...

Rafael, um filme sobre Sherlock Holmes pelo menos não é sobre o submundo londrino do crime... Já é uma mudança na temática! Pode ser uma boa saída!

Abs!

Main-Titles disse...

Bem, como costume, isto é, como costume para aqueles filmes para os quais as expectativas são elevadas, reservo sempre uma altura especial. Para esta ultima película de Guy Richie calhou este inicio de semana, madrugada fora. Madrugada fora porque, como amanha as aulas só acontecem ao final do dia teria tempo para uma vez visto o filme, pensar sobre o mesmo e percorrer a internet sobre opiniões dos mais variados sites e críticos e todo o tipo de trivia que pudesse encontrar, que como costume, é o ritual habitual que acontece sempre que um filme me toca especialmente. Hoje, às três e meia da manhã, entre a minha desilusão reparo que não valeu a pena ter perdido as horas de sono.

Para grande tristeza a minha, depois de snatch ou revolver, RocknRolla é simplesmente mais um filme com uma formula um tanto gasta, mas que na realidade, tirando um ou outro pormenor, poderia ter sido de qualquer outro realizador. E para não repetir aquilo que disse, ao qual eu não acrescentaria mesmo mais nada, a fonte, secou. E é este secar da fonte que alem de me desiludir, intriga de uma forma muito especial, vejamos: tirando o Snatch em 2000, nenhum outro filme de Guy Richie foi bem recebido, algo que sempre estranhei, porque o Lock, Stock and Two Smoking Barrels, mesmo que o realizador em questão ainda estivesse à procura de si próprio, ainda consegue ser um belíssimo filme, e Revolver (isto, esquecendo o tropeção que foi Swept Away) é para mim, entre poucos, um dos melhores filmes que já vi, com algumas falhas obviamente, mas acho que o objectivo principal é virtuosamente bem conseguido.
Agora o que me intriga? É que se bem me recordo, quando este RocknRolla saiu para os cinemas, (julgo até ter visto na Empire) todas as criticas que tive a oportunidade de ler, eram se não boas, excelentes, isto é, lembro-me perfeitamente de ler frases como "o expoente máximo de Guy Richie" como se toda a sua carreira cinematográfica estivesse a caminhar para este ultimo trabalho. Ora, a imagem, sim, está lá, não é nada que já não tenhamos visto, o argumento, o plot, nada de novo, mesmo, aliás é essa a grande falha, o que faz com que preocupado em explorar aquele tipo de plot que é a sua imagem de marca, acabou por se esquecer de outros pormenores que o fazem um grande realizador, ou faziam. Mas voltando aos media, algo de errado se passa, porque se aquele que na minha opinião (esquecendo o tropeção) é a obra mais fraca de Guy Richie é a única que é realmente aceite, praticamente por unanimidade dos media, algo de muito errado se passa não? mas acho que a resposta para este problema fica para outra altura, e porque obviamente aqui estamos apenas a tratar deste, digamos, desperdício de talento (e quanto me doi admitir tal coisa) do senhor Guy Richie

Já agora, aproveito, encontrei o seu blog enquanto procurava críticas do Rocknrolla e assim aproveito, pelo interesse explicito no cinema, espero que a musica para este também pertença a mesma área de interesses, assim sendo, www.main-titles.blogpost.com onde estão disponíveis podcasts de um programa de rádio da minha autoria dedicado a esse assunto que é o das bandas sonoras.

Cumprimentos e continue o belo trabalho, irei acompanhar sem duvida!
Gil Dionísio