terça-feira, março 17, 2009

#30 - Surf Adventures 2 - A busca continua, de Roberto Moura


Em 2002, quando Surf Adventures - O filme foi lançado, os filmes de surfe conquistaram um novo tipo de espectador: o sujeito que, apesar de não se aventurar nas ondas, enxergava beleza e plasticidade no esporte. O sucesso de bilheteria motivou o lançamento de outras produções do gênero na tela grande. Muita gente compreendeu que ver filmes de surfe no cinema é uma experiência realmente bacana!

Portanto, era de se esperar uma continuação da jornada em busca da onda perfeita. O diretor Roberto Moura, que produziu o primeiro longa, assina a direção do segundo, Surf Adventures 2 - A busca continua. Os grandes nomes do surfe nacional e mais um penetra (Kelly Slater, o penetra mais bem-vindo do mundo do surfe) visitam novos picos ao redor do mundo, incluindo Austrália, México, Peru, Chile, Taiti e até o Brasil.

Há algumas mudanças no que diz respeito à montagem do filme. E são justamente essas mudanças que fazem com que o primeiro seja bem melhor do que este. Talvez a mais gritante de todas seja a narração em off do casseta Hélio de la Peña. Recitando um texto fraco demais, que nem foi escrito por ele, mas está cheio de piadas no estilo do programa televisivo, faz com que muitas sequências percam o ritmo. Ao invés de dar o discurso ao surfista, o que rendeu excelentes momentos no primeiro longa, explica-se o que está acontecendo. Soa cansativo, fora de propósito e impertinente.

Outro fator que pesa é a falta de coesão no argumento. Se no primeiro Surf Adventures fica clara a ligação entre o surfe e a liberdade, no segundo essa premissa quase não fica em evidência, dando lugar mais à farra das viagens do que ao contato com a natureza. A trilha sonora, que já teve papel de destaque anteriormente, aqui não funciona tão bem assim. Vai de Los Hermanos a Bob Marley, passando por Bonde do Rolê. Tenta ser diferente, mas acaba perdendo força.

Porém, há os pontos altos. A escolha dos surfistas é certeira. Além de Gryllo, que fez sucesso, segundo o próprio, com as crianças, há a participação de surfistas mirins, futuras promessas do esporte. E, de quebra, a presença de Phill Rajzman, um verdadeiro monstro no longboard, que rouba a cena e fornece as melhores imagens do filme. Interessante também é a sequência do surfe na pororoca, fenômeno tipicamente brasileiro que dá onda! O uso de uma câmera na borda da prancha também fornece bons momentos.

Enfim, é um bom filme! E, se visto no cinema, vai agradar bem mais. Estreia prevista para o dia 27 deste mês.

PS: pessoas que não estão familiarizadas com o esporte, atenção, vale a pena!

9 comentários:

Kamila disse...

Dudu, o timing dessa resenha é perfeito. Estava assistindo ontem, ao PPV do BBB, e foi este longa que passou no Cinema do Líder, mas o pessoal que estava lá pouco se interessou pelo filme. rsrsrsrsrsrsrsrsrsrssrrsrsrs

Beijos!

Patrick Laplan disse...

Ache bem ruim. A trilha é reamente horrível. O Phil salvou o filme.
bjs
Patrick

Alex Gonçalves disse...

Dudu, eu não gosto de surf! Acho que vou passar batido em relação desse dai. E eu fiz um comentário de merda no seu texto de "Dia dos Namorados Macabro" lá no "M..."

Vulgo Dudu disse...

Kamila, eu nem sabia que tinha passado para os confinados do BBB. Mas não me surpreende que não tenham dado bola ao filme.

Patrick-o, de fato, Rajzman é o cara!

Alex, eu cho que vivemos uma nova era dos filmes de surfe. Eles valem a pena serem vistos, principalmente no cinema, com aquele barulho da onda quebrando no seu ouvido! E valeu pelo comentário lá na M... Espero que goste das resenhas por lá!

Bjs e abs!

Kau Oliveira disse...

Dudu, eu acho seus textos sobre estes filmes super maneiros! Não vi esse filme, mas parece ser uma boa pedida para os fãs do esporte.

Abs!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, passarei a ficar mais atento aos seus textos feitos para o M...

Abraços!

Vulgo Dudu disse...

Kau, obrigado! É uma boa pedida, de fato. E para ser vista no cinema, tela grande, som ensurdecedor etc.

Alex, manda brasa! Valeu pelo apoio!

Abs!

Phil Rajzman disse...

Patrick e Camila, obrigado pelos elogios, e muito dificil agradar a todos, acredito que alguns tambem podem nao ter gostado de meu desempenho, mas fico feliz por agradar a voces.
Eu gostei muito do filme, inclusive nos lugares que nao estou presente, me despertou uma grande vontade de conhece-los...
Aos que nao viram, espero que gostem!!!
Grande abraco!
PHIL RAJZMAN

Vulgo Dudu disse...

Phil Rajzman, que surpresa você por aqui. Bom, seja bem-vindo! Eu, sinceramente, esperava bem mais do filme. Em primeiro lugar, porque sou apaixonado por documentários sobre o surfe, e depois porque o primeiro Surf Adventures é uma jóia do cinedocumentário nacional. Como disse na resenha, é um bom filme. Apenas abaixo do que eu esperava. Porém, não precisa ser modesto: volto a afirmar que as suas participações são o ponto alto do filme. O que você faz em cima de um longboard é realmente incrível! Parabéns pela alta performance nas ondas - não só na telona, mas fora dela também.

Abs!