terça-feira, março 10, 2009

#26 - Berlin Alexanderplaz (Episódio 9 - Das eternidades entre os muitos e os poucos), de Rainer Werner Fassbinder


O nono capítulo da saga de Franz Biberkopf deixa um pouco de lado os conflitos pessoais do protagonista para situar o espectador no momento histórico que a Alemanha atravessava, durante a República de Weimar.

Logo após a Primeira Guerra Mundial, o desemprego assolava os alemães. A economia do país estava estagnada e crescimento algum era registrado. Tempos difíceis para Franz. Ele acaba ilustrando exatamente o que comumente ocorria nas classes inferiores da República de Weimar: a dificuldade em conseguir um trabalho digno que sustente seu modo de vida. Por isso mesmo, opta por voltar à labuta de cafetão, alegando ser vítima de um sistema excludente, o parlamentarismo. Mais precisamente, alegando ser vítima do capitalismo então vigente.

Franz começa uma reflexão política ao presenciar um comício sobre ideais socialistas. No discurso está a base do sentimento que, mais tarde, proporcionou a Hitler e seu partido ascenderem ao poder com apoio majoritário da população alemã. Desse movimento surgiu o Nacional Socialismo, ou seja, o nazismo.

O exame minucioso da sociedade alemã era tema recorrente na filmografia de Fassbinder. O diretor era notoriamente reconhecido por retratar a Alemanha e seus pormenores em diversas épocas diferentes.

Portanto, num épico como Berlin Alexanderplatz, um capítulo de cunho histórico não poderia faltar.

2 comentários:

Kamila disse...

Até entendo que um capítulo como esse não poderia faltar na série, mas eu gosto mais de ler aqui sobre aqueles capítulos que enfocam o Franz e a constante tentação em que ele vive entre a vida longe daquilo que ele conhecia e a vida como cafetão... :-)

Vulgo Dudu disse...

Kamila, aqui nesse episódio ele já assume abertamente que é cafetão! E é esse ofócio, ao que tudo indica, que vai trazer muitos problemas no relacionamento com Mieze...

Bjs!