segunda-feira, março 02, 2009

#25 - Entre os muros da escola (Entre les murs), de Laurent Cantet


É como se voltássemos aos tempos de colégio. O filme vencedor da Palma de Ouro em Cannes no ano passado, Entre os muros da escola, nos permite observar de perto o comportamento de alunos que frequentam uma escola pública da periferia de Paris. Diferentes etnias, crenças e valores são postos em confronto e mediados por um professor que tenta fazer a diferença.

Provavelmente, vai ter muita gente pensando em algo parecido com o clássico Ao mestre, com carinho, no qual Sidney Poitier tentava domar alunos selvagens. Porém, aqui a mecânica é um pouco diferente. Laurent Cantet utiliza uma linguagem bem mais realista para falar sobre um choque cultural oriundo de conflitos atuais. Com uma câmera na mão, edição ligeira e diálogos espontâneos, vai percorrendo os espaços entre as carteiras e fazendo com que o espectador se sinta como um colega dos estudantes.

O roteiro é livremente inspirado no livro homônimo de François Bégaudeau, professor de francês e protagonista da adaptação cinematográfica. Pais, alunos e mestres envolvidos na trama também desempenham os mesmos papéis na vida real - exatamente na mesma escola onde o filme é rodado. Assim, Cantet aproxima a obra de uma valorosa peça documental sobre o comportamento humano, no qual transforma uma simples sala de aula em uma polis grega.

Uma experiência cinematográfica realmente diferente.

21 comentários:

Kamila disse...

Estava torcendo para este filme ganhar o Oscar de Filme Estrangeiro, mas isto não aconteceu. Desde o festival de Cannes, do ano passado, que estou interessada em "The Class" e seu texto só fez aumentar minha expectativa em relação ao filme.

Kau Oliveira disse...

Dudu, eu achei o trailer deste filme MUITO parecido com 'Ao Mestre, Com Carinho', 'Escritores da Liberdade' e 'Mentes Perigosas'. Na verdade, confesso que não gostei do trailer...

Abs!

Sérgio Déda disse...

Estou super louco para ver este filme, espero poder conferir logo.

Abraços!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, sabia desse filme por causa da sua vitória em Cannes, mas nem sabia desse detalhe sobre o elenco. Até que gosto de filmes com a temática - e tenho que um dia assistir "Half Nelson", rs.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, é um filme bem bacana! Vale o confere, sem dúvida. Quero ver os outros indicados. Vou correr atrás.

Kau, como eu escrevi na resenha: pode até parecer com o filme do Poitier, mas é completamente atual e pungente. É outra forma de fazer cinema!

Sérgio, a estreia nacional está marcada para o dia 13 de março!

Alex, o elenco é realmente um destaque. estão todos tão comprometidos com o argumento, que quase não há diálogos previamente escritos.

Bjs e abs!

Marcos disse...

Olá Dudu,

Sou leitor do "Cinéfilo, eu?" e sou cinéfilo de carteirinha. Eu estou mandando esse email porque estou trabalhando numa empresa que desenvolveu um portal sobre cinema - o Cinema Total (www.cinematotal.com). Um dos atrativos do site é que você cria uma página dentro do site, podendo escrever textos de blog e críticas de filmes. Então, gostaria de sugerir que você também passasse a publicar seus textos no Cinema Total - assim você também atinge o público que acessa o Cinema Total e não conhece o "Cinéfilo, eu?".

Se você gostar do site, também peço que coloque um link para ele na seção "OUTRAS SESSÕES" do "Cinéfilo, eu?".

Se você quiser, me mande um email quando criar sua conta que eu verifico se está tudo ok.

Um abraço,
Marcos

jeff disse...

Esse eu estou com muita vontade de assistir. Seu texto a aumentou ainda mais, Dudu. Já irá estrear dia 13? Então nada de download. hehe Verei na tela grande.

[]s!

Vulgo Dudu disse...

Marcos, por enquanto nem estou interessado em ter outro blog - esse aqui já dá um trabalho danado... rs... Mas obrigado mesmo assim. Quanto ao link, já está ali do lado! Sucesso!

Jeff, Dia 13, sexta-feira! Quando vai estrear também Dia dos Namorados macabro 3D!

Abs!

宮崎 ジュリアナ disse...

Caro Eduardo,

meu nome eh Juliana, vi seu comentario no blog dos cinefilos e gostaria te te pedir o favor de me informar onde comprou a camiseta do filme Edukators, com os dizeres Jedes Herz ist eine revolutionare Zelle.
Estou a tempos procurando, seria muito grata pela sua ajuda.

Desde jah agradeco^^

Abraco!

Alex Gonçalves disse...

"Dia 13, sexta-feira! Quando vai estrear também Dia dos Namorados macabro 3D!"

Eu verei "Dia dos Namorados Macabro"!!! Rs.

Rafael Carvalho disse...

Cara, como você assistiu a esse filme? Louco pra ver. Mas acho que vou ter de esperar um pouquinho. Valeu!!

Tales Santana disse...

Gostei muito, achava o melhor do gênero... até que vi uma curta bem simplório de um cineasta gaúcho, a curta se chama "Pequenos Tormentos da Vida" feito para o centenário do Mário Quintana.
Os dois filmes valem a pena.

Vulgo Dudu disse...

Juliana, comprei de uma marca do sul, a Mono. Deixei o site deles no seu blog.

Alex, eu vou conferir o filme amanhã! Foda que os óculos me dão dor de cabeça...

Rafael, eu fui à cabine de imprensa aqui no Rio. O filme estreia no dia 13 de março em todo o Brasil! E vale a pena!

Tales, deve valer mesmo! Mário Quintana era um gênio. Obrigado pela visita e volte sempre!

Abs!

Anônimo disse...

Excelente filme, boa direção e bom desempenho dos atores(não profissionais). Não pode ser comparado ao filme "Ao mestre com carinho" e outros por aí, pois há uma complexidade muito maior no filme francês. Qual o papel da escola na sociedade multicultural e globalizada? Que concepção de escola temos? Que competências são exigidas do professor? Como se dá sua formação profissional? O que esperar de um país desenvolvido, em relação aos seus cidadãos, que por diversos motivos, vivem à margem? A escola cumpre seu papel para todos? E por aí vai...Obrigatório!

Vulgo Dudu disse...

Anônimo, é exatamente por aí. Acredito que muita gente associe o filme a Ao mestre, com carinho. Esse aqui vai muito mais além e propõe uma abordagem completamente contemporânea. Ainda assim, lamento por despertar interesse apenas de um público específico, fora dos holofotes do circuitão. Tomara que esteja errado quanto a isso, mas é uma produção que pode ficar restrita. Aliás, você é professor(a), não é? Pois seu comentário reflete bem uma leitura feita por quem se preocupa com o ofício educacional. Obrigado pela visita e pelo comentário!

Abs.

Anônimo disse...

Acho que devo ser a única mas confesso que assisti ao filme e não gostei, ele é cansativo e repetitivo, na primeira meia hora já é possível perceber o que ele quer contar e assim fica até o final. Quase sai do cinema antes de acabar quando percebi que o roteiro não ia sair da sala de aula com o professor enfrentando seus alunos rebeldes que distribuem agressões verbais sem necessidade (o que não é nenhuma novidade, mesmo quem estudou em escola particular sabe que esse tipo de problema existe entre os adolescentes de hj em dia infelizmente). Decidi ficar até o final p/ ver como ia terminar, o que acabou sendo o mais frustante, o filme termina da mesma maneira como começou sem esboçar qualquer tentativa de solução para as questão abordadas.

Anônimo disse...

...as questões.... (desculpem)

Vulgo Dudu disse...

Anônima, é bom ter opiniões divergentes por aqui! Na minha opinião, trata-se de um filme que carrega outro tipo de linguagem cinematográfica. É uma filmagem quase naturalista, com um roteiro que é amarrado não por uma sucessão linear de conflitos, e sim por um argumento pertinente presente a todo fotograma. Por isso, pode haver essa impressão de que o roteiro não sai do lugar - mas na verdade, o que importa não é contar uma história com início, meio e fim. O que o filme propõe é levantar questionamentos sobre o papel da escola, questionar que lugar é esse. Levando-se em conta essa proposta, acho que Entre os muros da escola é perfeito!

Abse volte sempre!

candice disse...

acabei de voltar do cinema e nao consigo acreditar que esse filme que ganhou o melhor filme em Cannes!!! Pasmem...
o que tem esse filme demais do que ja nao vimos na grande tela?
que preguica...filme chatinho.
Deve ter gente que gosta desse tipo de linguagem cinematografica. Nao 'e o meu caso...
Eu concordo com a ultima aluna ao sair da sala que olha para o professor e diz: "eu nao aprendi nada". Digo o mesmo sobre "The Class". Nao precisamos concordar com tudo nao 'e mesmo! obrigada pelo espaco!

Fernanda disse...

Acho fundamental um filme como esse ser tão bem comentado e premiado, os problemas abordados .são bem realistas e precisam ser divulgados. Me impressionei com a determinação e paciência do professor François Bégaudeau, ainda bem que existem pessoas como ele preocupadas e cientes dos conflitos existentes em seus país.
O mais interessante é saber que tudo é de “verdade”, a escola, os alunos, o professor, acho que o estilo do filme também não poderia ser diferente, realmente me senti voltando nos tempos da escola pois da cadeira do cinema rezava para que o sinal tocasse e a aula acabasse logo.

Vulgo Dudu disse...

Candice, eu que agradeço a sua participação por aqui! Digo a você que me surprenderia se o filme ganhasse um Oscar! rs... Cannes, com a notória abertura que dá para as experimentações cinematográficas, é o lugar ideal para premiar Entre os muros da escola. Realmente, bastante gente não deve gostar dessa linguagem adotada pelo diretor. Eu acho genial. Mas, como sempre repito: cinema é feito traseiro, cada um tem o seu!

Fernanda, eu fecho contigo. Também me impressionei muito com o tom quase naturalista do conteúdo do filme. Ficou na cabeça após a sessão.

Meninas, sejam bem-vindas e obrigado pelos comentários!