quarta-feira, fevereiro 18, 2009

#19 - Frost/ Nixon, de Ron Howard


O problema deve ser comigo, sei lá. Frost/ Nixon foi indicado a 5 estatuetas do Oscar, quatro delas em categorias de destaque, e eu não gostei do filme. Claro, tem lá seus pontos positivos, mas o resultado final não me agradou nem um pouco.

A produção conta a história do famoso embate televisivo entre o apresentador fanfarrão David Frost e o ex-presidente Richard Nixon. O primeiro, desacreditado pelas editorias políticas, busca os holofotes. O segundo, após o escândalo Watergate e a renúncia, busca a redenção por parte da opinião pública. O argumento é baseado em fatos reais. Aliás, fatos políticos que tiveram força o suficiente para mudar o rumo da política estadunidense. O roteiro é baseado em peça encenada na Broadway. E é justamente este, misturado com a direção frouxa do fraco Ron Howard, que concentra minhas críticas.

Joga-se na latrina a oportunidade de se fazer um excelente filme político de conteúdo relevante para a história recente dos Estados Unidos. A quantidade absurda e desnecessária de piadinhas e gags, em pleno fogo cruzado, vai fazer com que, em certos momentos, a plateia ria como se estivesse diante de uma comédia pastelão - prova de que Hollywood tenta, cada vez mais, acostumar os espectadores com meros shows de entretenimento, entregando um filme bem acabado, mas oco.

O elenco é, de fato, primoroso. Os dois atores em duelo, Frank Langella e Michael Sheen, que viveram Frost e Nixon nos palcos da Broadway, estão em perfeita sintonia. É interessante ver como os dois se saem bem diante das câmeras. Sam Rockwell e Kevin Bacon também emprestam seus talentos para o filme.

Panis et circenses!

PS: ficou imaginando como seria o David Frost entrevistando o Lula? Contribuição do Luiz Mendes Júnior, eis o vídeo Frost/ Lula.

8 comentários:

pedro tavares disse...

Um grande filme!

Bom, eu assisti em DVD. Peguei quando trabalhava em uma locadora.

Mas se você costuma baixar...

http://thepiratebay.org/torrent/4492767/The_Five_Obstructions_-_von_Trier__Leth_(2003)

Kamila disse...

Dudu, estou surpresa de ler seu comentário, já que li bastante sobre "Frost/Nixon", especialmente opiniões que consideravam este o melhor trabalho do Ron Howard em muito tempo.

Particularmente, quero conferir este filme por causa do roteiro (adoro Peter Morgan) e do elenco. Além disso, como jornalista, a temática do longa muito me interessa.

Sérgio Déda disse...

Acho o filme apenas ok. O roteiro é pouco envolvente e aborda muito pouco o intímo dos personagens, tornando um filme só sobre política, oq fica extremamente entediante. As atuações em si são ótimas.

Vulgo Dudu disse...

Pedro, eu nunca o vi em locadoras por aqui... Valeu pela indicação!

Kamila, sabe o que é?, cansei dessa onda pseudo-política de Hollywood. Dois diretores com dois ótimos argumentos políticos fazendo filmes, indicados ao Oscar, mornos. Morninhos. Tem gente que até diz que não gosta porque o filme é político demais. Não concordo. É político de menos. O roteiro escorrega fácil. Repito o que escrevi lá para o Ramon: filme político tem que dar tapa na cara da gente! Tem que chacoalhar, balançar, marcar! Senão, perde impacto, perde força. Vira mero entretenimento romanesco - e acho que ambos, Van Sant e Howard, pensavam fazer um pouco mais que um mero entretenimento romanesco. Meio radical, né? rs... Mas eu fiquei realmente decepcionado.

Sérgio, não concordo. FIlme político não é aquilo que a gente viu em Frost/ Nixon. Aliás, aquilo está muito longe de ser um filme político de verdade, contundente. Vimos, talvez, uma tentativa frustada, que não preenche os atributos nem de um filme de entretenimento, nem de política.

Bjs e abs!

Rafael Carvalho disse...

Pois tu acredita que esse é o filme do Oscar que eu mais gostei. Na verdade, esse ano não tinha nenhum filme excepcional entre os cinco indicados, seleção fraca! Mas Frost/Nixon foi uma grande surpresa porque eu não vou muito com a cara do Ron Howard. Mas adorei o filme. Não é cansativo, o texto é dinâmico e ágil, e o elenco está ótimo. E não acho que por se tratar de uma entrevista a respeito de assuntos políticos, o filme precise ser político, contundentemente político. A onda do filme é mostrar a preparação para aquela entrevista e faz isso muito bem. Gostei muito.

Vulgo Dudu disse...

Rafael, precisar ser político, realmente, não precisava. E convenhamos que Ron Howard não é a pessoa mais indicada para fazer isso. Porém, o argumento é estritamente político. Vou além: é histórico! Não só para os cientistas políticos, mas também para a história do jornalismo. Não acho condenável focar apenas na preparação para a entrevista, como você escreveu, essa onda é válida. Mas lembrando os clássicos do cinema político, da importância dos mesmos, é de se lamentar que se dê preferência ao enredo romanesco. Questão de opinião mesmo...

Abs!

Taís Oliveira disse...

que alívio, achei que eu fosse a única! fraco né?

Vulgo Dudu disse...

Taís, bem-vinda por aqui! Eu também achava que era o único - como comprova o primeiro parágrafo dessa resenha... Achei muito fraco mesmo. Hollywood ainda precisa comer muito feijão com arroz pra fazer filme político de verdade. Volte sempre!

Bjs!