quinta-feira, fevereiro 12, 2009

#16 - Sexta-feira 13 (Friday the 13th), de Marcus Nispel


Difícil dizer o que dá mais medo: o Jason matando jovens incautos ou o Michael Bay produzindo um remake da clássica franquia de terror Sexta-feira 13. Como não poderia deixar de ser, depois de terem mandado o psicopata mais famoso das telonas para Nova York e até para o espaço sideral, fui assistir à sessão desta nova produção meio ressabiado.

Porém, me surpreendi! Os quinze primeiros minutos de projeção me fizeram esquecer completamente o receio de ver mais um remake tosco. Já é possível, de cara, notar que o novo Sexta-feira 13 se mantém fiel à série original. Obviamente, algumas mudanças foram feitas para que a história ganhasse ritmo. Jason agora é mais rápido, mais ágil e mais sádico - mais assustador. Além disso, podemos testemunhar o que ele faz enquanto não está dilacerando a carne alheia.

Tem falhas? Ah, tem! Mas tem também sexo, drogas e sangue como nos velhos e cultuados slashers dos anos 80. É diversão e nostalgia garantidas!

Conferi a sessão para a imprensa ao lado de um grande amigo e apreciador do gênero, o fotógrafo e artista plástico Beto Roma. Nós dois sentamos em um café depois do filme e fizemos uma crítica para a M... Online, que você pode ler aqui!

13 comentários:

Kamila disse...

Estou surpresa de ler uma opinião positiva sua sobre este filme. Confesso que não tenho a mínima vontade de assistir a este remake...

Bom final de semana!

jeff disse...

Dudu, acredite: nunca vi nenhum filme do Jason. o.o Só 'Jason X' e 'Freddy vs. Jason', mas não sei se vale. xD Nunca senti vontade de assistir os longas originais, não fazem meu estilo. Mas até que fiquei com vontade de ver essa refilmagem, ainda mais depois do que li. Se eu gostar, acho que até me aventuro um pouco nos filmes do mascarado.
[]s!

Márcio Silva disse...

Confesso que eu tenho um certo medo de assistir esse filme, o mesmo que me deu quando eu vi o anúncio de Rocky Balboa. Mas já que você indica, eu superarei esse medo. Inutilidade do dia: a primeira "vítima" da franquia foi o onipresente Kevin Bacon.

Leela disse...

Com certeza vou conferir, principalmente depois que li o que você escreveu. Eu também sou fã do gênero e fiquei alegre de saber que aquelas idéias "revolucionárias" dos anos oitenta sobre sexo e estereótipos estão lá. Eu sempre me diverti com o maniqueísmo desses filmes. Não pretendia assistir porque sempre achei Michael Bay o PIOR de todos, mas vou dar outra chance.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, eu adorava a série quando era moleque! Por isso gostei. E olha que tratando-se de Michael Bay como produtor isso era dificílimo de acontecer...

Jeff, eu cresci vendo esses filmes de terror de antigamente, quando era divertido reunir os amigos em casa para fazer sessões. Acho que os filmes de terror hoje em dia se levam a sério demais. E por isso o novo Sexta-feira 13 me surpreendeu!

Grande Márcio, o produtor do primeiro filme alegou que só chamou atores que apareceriam num comercial da Pepsi! Bacon era um deles.

Leela, se você é fã do gênero, vá em frente! Eu também estava com mais medo do Bay na produção do que do Jason na telona. Mas de cara, nos 15 primeiros minutos, você acaba esquecendo das merdas que o cara fez. E me refiro ao Michael Bay! rs...

Bjs e abs!

Sérgio Déda disse...

Este eu passo longe, por mais que muita gente fale bem hauahua. O gênero só me agradava quando criança hauahau.

Abraços!

Pedro Henrique disse...

É justamente por esta nostalgia que eu vou ao cinema essa semana ver esse filme!!!

Alex Gonçalves disse...

Dudu, que bom que você gostou, pois sou fã da franquia (ou melhor, os quatro primeiros episódios e de "Freddy Vs. Jason") e achei tudo uma porcaria. Claro, de fato os quinze minutos iniciais prometem, mas depois tudo vai por água abaixo! Os momentos iniciais já nos provam que quem mostra os peitos, transam e dão um tapa na pantera vão morrer. Mas precisa levar essa regra para o filme inteiro? Sem dizer que fiquei puto com a pequena cena da Pamela Voorhees, que é uma assassina mais bitch e, assim mesmo, interessante que o seu filho maldito. Enfim, decepcionante!

Vulgo Dudu disse...

Sérgio, eu também não curto filmes de terror. Mas cresci assistindo aos filmes do Jason. Gosto de um filme trash (o que não é novidade, né?), e esse aí me remeteu de volta à adolescência, quando a gente reunia a molecada para ver filmes de terror.

Pedro, depois escreva uma resenha sobre!

Alex, justamente essa lei é que faz o filme ficar divertido. Fumou, transou: morre! Essa foi a premissa de quase todos os filmes de terror na década de 80, e é o que faz com que a franquia seja tão divertida. Filmes de terror que não se levam a sério é o que mais falta na indústria cinematográfica. Fico lembrando de Evil dead, A hora do espanto, Pague para entrar, reze para sair, A noite das brincadeiras mortais, Dia dos namorados macabro - esse último vai ganhar remake em 3D!. Aquilo sim era saber fazer um bom filme do gênero.

Abs!

Luiz Mendes Junior disse...

Li teu texto lá no M... Online. Muito boim. Vou ver se dou um jeito de baixar esse filme. Essa de mostrar o que o Jason faz entre uma vítima e outra parece interessante. Os peitões, nem se fala...!

Luiz Mendes Junior disse...

Ah, e sim, tenho mais medo do Michael Bay do que do Jason.

Vulgo Dudu disse...

Mendes, aproveita e vai ver nos cinemas! Vai ser bem mais divertido!

Abs!

T1460 disse...

Assisti duas vezes a este filme, não sem antes rever todos os anteriores. Na primeira vez, me decepcionei, mas na segunda encarei-o como uma homenagem ao início da série e assim flui bem melhor. Muitas cenas foram "roubadas" dos primeiros filmes.