sábado, janeiro 03, 2009

#1 - Meu tio (Mon oncle), de Jacques Tati


Nada melhor para começar o ano do que um filme de Jacques Tati, comediante francês que dominava como ninguém a pantomima. Em Meu tio, seu primeiro longa colorido, é estabelecida, com muito bom humor, uma crítica contundente ao modernismo e ao consumismo típicos do sistema capitalista então em ascenção.

O Sr. Hulot, famoso e carismático personagem de Tati, reaparece e vai passar um tempo na casa de sua irmã para ajudar a cuidar do sobrinho. Logo se vê às voltas com uma residência repleta de utensílios automáticos e arquitetura futurista - pouco funcional, mas vistosa aos olhos da sociedade de consumo. A dificuldade de adaptação cria situações cômicas e insólitas.

O humor de Tati sempre foi muito mais visual do que textual. Portanto, no lugar de piadas fáceis, o roteiro prefere brincar com os cenários cheios de formas e cores diferentes, criando sequências (adeus, trema) de rara beleza. O filme foi reconhecidamente premiado em festivais do mundo inteiro não só pelo talento do humorista, mas também pela ousadia estética e temática.

Uma verdadeira pérola que, assim como os "tempos modernos" de Chaplin, permanece ressoando como um clássico.

9 comentários:

Sérgio Déda disse...

Nossa... sou louco para assistir este filme, mas nunca achei em lugar algum...

vlws

Kau disse...

Dudu, acho Tati EXCELENTE. Infelizmente nunca achei Meu Tio, mas acho As Aventuras de Mr. Hulot no Tráfego Louco e As Férias do Sr. Hulot ótimos, hahahahahahahaha.

Abraços!

Yuri Dias disse...

Fico até com vergonha de falar que não conheço, mas vou procurar, pelo que falaram aí deve ser complicado de achar, mas fiquei curioso. Se for ao menos 20% de "Tempos Modernos" tá bom :p

Abraços

Vulgo Dudu disse...

Sérgio, há uma coleção lançada no Brasil com quase toda a filmografia do Tati. Talvez você encontre em uma locadora que faça acervo. Boa sorte!

Kau, se você está familiarizado com Tati, vai adorar esse aqui! É talvez o mais famoso filme dele, até mesmo por causa da cor. O mesmo conselho que dei para o Sérgio: procure em locadoras que façam acervo!

Yuri, os filmes de Chaplin tiveram muito mais projeção que os do Tati. Mas ele é genial também, vale a pena conhecer!

Abs!

Rodrigo Lemos disse...

É também o filme mais recomendado nos cursos de arquitetura, por motivos óbvios. Aliás, toda a filmografia dele... é muito bacana mesmo... e Feliz 2009 cheio de filmes e cervejas de primeira!

Vulgo Dudu disse...

Arq, eu imaginei mesmo que o filme fosse objeto de apreciação para estudantes de arquitetura! Até porque é muito bacana! Tudo de bom para você também em 2009, camarada!

Forte abraço!

edsonnascimento disse...

SE SOUBEREM ONDE COMPRAR AVISA TÁ.RECENTEMENTE PASSOU NO ESPAÇO HSBC;NA CONSOLAÇÃO.

Canal Hinha disse...

Pessoal: este é meu 1º comentário: baixei Mon Onclo no Emule. Demorou alguns dias pois estou verde ainda. Mas a paciência é premiada.
fubecado@yahoo.com.br

Leonardo Glass disse...

Olha que conicidẽncia. Assisti esse filme exatamente um ano depois desse comentário.

Olhei o filme: e num primeiro momento não gostei. Ou melhor, não sei se não entendi ou se não gostei.

Depois de refeltir um dia inteiro sobre essa película, ainda sem conseguir definir minha opinião em relação ao filme, decidi ir para a internet compartilhar impressões.

Não é um filme exatamente do meu gosto. Mas mentiria se dissesse que não é um filme bonito, poético, singelo. Não é uma obra que mudou minha vida, mas com certeza deixou uma marca indelével no meu coração.

É um filme que traz a tona as coisas pequenas da vida, como o canto de um pássaro ou um sonho coberto de açúcar. Vale a pena assisití-lo. Penso apenas que, assim como eu, poucos estarão preparados para absorver toda a beleza dessa obra.

Enfim, fiquei feliz de ter visto esse filme. Ainda não consegui digerí-lo. Mas, dizem, bons filmes são justo esses, que não abandonam o espectador.