sábado, dezembro 13, 2008

#98 - Queime depois de ler (Burn after reading), de Joel e Ethan Coen


Agora que os irmãos Coen foram premiados com a estatueta da Academia, em demonstração de honra ao mérito, seus filmes vão ficar badalados. Prova disso foi que precisei me deslocar a um multiplex para assistir a Queime depois de ler - coisa que eu não fazia há muito tempo. Já estava desacostumado com poltronas confortáveis, som de última geração, tela gigante e projetor... Opa! Projetor arranhado? Ué? Não é um multiplex? Bom, melhor ignorar isso. Assim como ignorei também o barulho de pipocas gigantes e os celulares tocando e , pior que isso, sendo atendidos.

Antes de ir direto ao filme, queria fazer um adendo sobre os vários trailers. Eu não preciso mais ver Austrália e nem O curioso caso de Benjamim Button, porque em cerca de dois minutos já trataram de me contar quase toda a história.

Queime depois de ler parece que é um filme de férias dos Coen, descompromissado e despretensioso. Depois de filmar Onde os fracos não têm vez, uma obra-prima violenta e intensa, a dupla se permitiu ser mais sarcástica e menos perfeccionista. Ainda assim, o filme tem lá seu charme. O roteiro, nada demais quando comparado ao que já fizeram os realizadores, conta a história de um CD com dados sigilosos de um ex-agente da CIA que vai parar nas mãos de dois funcionários de uma academia de ginástica. Eles resolvem chantagear o sujeito e, a partir daí, sucede-se uma comédia de erros.

O forte do filme, que o difere das demais comédias em cartaz, está nos diálogos. Prato cheio para os talentosos Coen, que sempre tiveram excelência nesse ofício. O que parece soar banal, na verdade, é parte de um enredo engenhoso. O elenco ajuda bastante: Frances McDormand, George Clooney, John Malkovich (excelente como o federal neurastênico) e Brad Pitt (igualmente excelente como um personal trainer efeminado e boboca).

Vale a pena ficar durante os créditos finais para ouvir uma versão ao vivo do clássico "CIA Man", da banda pacifista The Fugs. Um achado!

10 comentários:

Kau disse...

Dudu, me perdõe a expressão (rsrsrsrsrsrsrs), mas o filme é FODA!!! Muito divertido e extremamente inteligente... os Coen se divertem demais aqui. E o elenco está maravilhoso.

Abração!

Kamila disse...

Dudu, eu ainda não conferi este filme, mas acho que vou gostar dele, já que as comédias dos Coen me agradam bastante.

E concordo com você: o trailer de "Benjamin Button" conta detalhes demais sobre a história do filme. :-)

Pedro Henrique disse...

Não tinha pensado nisso ainda, mas é mesmo uma obra-prima da comédia.

E essa mania de tirarem o espectador para otário cansa.

Abraço!

Luiz Mendes Junior disse...

Oi, cara. Deixei um meme para vc no meu blog. Dá uma olhada em como ele funciona.

http://www.noticiasdofront3.blogspot.com

Sérgio Déda disse...

Direi oq venho dizendo ultimamente sobr eo longa... não costumo gostar de filmes muito simples como esse, mas não foi o caso de Burn...
Gostei relativamente, talvez mais pelo quesito da diversão...

jeff disse...

É um dos melhores filmes do ano. Aliás, em meu top 10 de 2008 haverá dois filmes dos Coen. É, eles estão com tudo.

Ri demais com Queime depois de ler. Uma comédia onde tudo é muito estúpido - mas de uma forma positiva. Gostei demais. E concordo com o Pedro.

[]s

Vulgo Dudu disse...

Kau, eu não acho foda, mas é bem melhor que a média, sem dúvida!

Kamila, é um filme bem agradável! Tem um ar debochado bem interessante. E quanto aos trailers, sério, nem preciso mais ver os filmes...

Pedro, na verdade eu não achei uma obra-prima. Eu me referia ao filme anterior, vencedor do Oscar... Tanto que mudei o texto lá! Acho Queime depois de ler bom, mas nada de excepcional...

Luiz, vou dar uma olhada no meme!

Sérgio, sem dúvida é bem divertido. Mas eu acho que sempre gostei de filmes simples...

Jeff, essa estupidez sarcástica dos Coen é demais! Eles são mestres nisso, e os diálogos são fundamentais. Mas não sei se na minha opinião é dos melhores do ano...

Pessoal, bjs e abs!

Yuri Dias disse...

É um filme realmente divertido que se apóia basicamente na competência de seu elenco, algo que os Coen souberam fazer muito bem. Formaram um cast poderoso e conseguiu arrancar excelentes atuações, nunca tinha visto Brad Pitt tão engraçado. O roteiro consegue sustentar bem o filme e ele cumpre com o que propõe. Fiz um resenha no meu blog também, convido todos a lerem. ^^

Vulgo Dudu disse...

Yuri, bem-vindo por aqui! Eu acho que o filme se apóia mesmo é nos diálogos inteligentes - coisa rara nesses tempos modernos de gente bonita e efeitos especiais. O elenco é realmente estelar!

Abs!

Pedro Henrique disse...

Eu entendi mal, mas continuo achando um filmaço!!!