quarta-feira, novembro 26, 2008

#93 - Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen


Woody Allen é esperto. Trocou a bruma acinzentada de Londres pelas cores vivas e berrantes de Barcelona. Ô cidadezinha especial essa capital da resistência catalã! É preciso muito autocontrole e um aparato racional altamente desenvolvido para não morrer de amor em Barcelona. Eu digo por experiência própria.

Antes mesmo da estréia, muito já se falava da mais nova produção de Allen. Dois pitéis, Penélope Cruz (que não faz parte do título, mas ainda assim rouba os holofotes) e Scarlett Johansson, trocando carícias - diziam os tablóides sensacionalistas. Pois Vicky Cristina Barcelona oferece muto mais que isso. Ok, longe de ser das melhores produções do diretor estadunidense, mas é uma encantadora demonstração de como um choque de cultura pode afetar para sempre a vida de todos que pisam o solo catalão e não têm, como disse no parágrafo ali de cima, autocontrole e aparato racional altamente desenvolvido.

O roteiro conta a história de duas amigas que viajam para passar o verão em Barcelona. Vicky (Rebecca Hall, competente, interpretando uma espécie de Allen de saias) é uma estudante de mestrado prestes a se casar, correta e avessa ao inesperado. Cristina (Scarlett Johansson), é mais liberal, do tipo que não planeja o futuro. As duas conhecem um pintor catalão (Javier Barden), que causa reviravoltas em ambas as vidas.

Vicky Cristina Barcelona é despretensioso no tema, mas não deixa de lado o requinte típico dos filmes de Allen. Belas paisagens, obras de arte, restaurantes chiques, casas suntuosas e música tipicamente espanhola lembram a toda hora como é pasteurizada a cultura estadunidense, de onde vêm as protagonistas. Assim fica fácil para Javier Barden consquistar qualquer turista incauta... Ao mesmo tempo, estereótipos são postos à prova o tempo inteiro pela narração em off - recurso que caiu muito bem ao filme.

Ao final da projeção, Vicky Cristina Barcelona despertou em mim uma série de lembranças bacanas. A principal delas foi: como é difícil não se apaixonar em Barcelona!

10 comentários:

Rafael Carvalho disse...

Moço, esse cartaz do filme é simpatissíssimo. Tô louco pra ver.

Kamila disse...

Legal o texto, Dudu! "Vicky Cristina Barcelona" vai estrear aqui em Natal neste final de semana e, com certeza, não irei perder o longa! :-)

Robson Saldanha disse...

Esse filme começou a me chamar a atenção quando todos falaram bem dele... Allen não é meu forte...

Pedro Henrique disse...

Baita filme! Junto com Queime Depois de Ler a melhor comédia do ano! Woody não erra mais.

Abraço, Dudu!

Vulgo Dudu disse...

Rafael, o filme também é muito simpático! Mais ainda para quem conhece o lugar.

Kamila, não perca! Aguardo a sua resenha, ok?

Robson, acredita que Allen também não é meu forte? Eu acho que ele tem altos e baixos. Detesto aquelas neuroses verborrágicas sem fim dele. Porém, o cara está numa fase tranqüila. Vale a pena!

Pedro, Amanhã estréia Queime depois de ler por aqui! Tô louco pra conferir!

Bjs e abs!

Kau disse...

Muito bom texto, mas digo que não achei Vicky... tão brilhante como todos. Não consigo processar a idéia do roteiro e achei que Allen ousou demais em alguns atributos na direção. Entretanto, o que é Penépole Cruz? Magnífica!

Dudu, realmente não tem comoo se apaixonar em Barcelona e por Barcelona (minha futura moradia daqui dois anos) =)

Abraços.

maria disse...

No dia em que eu pisar em solo catalão, espero estar completamente desprovida de autocontrole e aparato racional!

Curiosa pra ver o filme.......

Ah, bem vi o Ladri... já fazem algumas semanas, é que tem tempo que não passo por aqui. Nossa, gostei muito, maravilhoso!

beijo

Vulgo Dudu disse...

Kau, eu também não achei brilhante. Mas é um filme que fez tão bem! Saí do cinematão contente... Como disse, me trouxe ótimas lembranças! E você, prepare-se para a intensidade barceloneta!

Maria, é isso aí: o espírito é esse de entrega mesmo. Barcelona é intensa, cheia de mistérios e armadilhas deliciosas. Veja o filme, acho que você vai gostar! E quanto ao do De Sica, diz aí, muito bom, né? O realismo italiano tem vários exemplares de beleza cinematográfica!

Bjs e abs!

A Especialista disse...

Pelo visto a película retrata mesmo essa intensidade catalã, como vc disse.
deu vontade de assistir!! ^^

beijossss

Vulgo Dudu disse...

Dani, tá esperando o quê? Aproveita que ainda está em cartaz nos cinemas!

Bjs!