terça-feira, agosto 12, 2008

#64 - The king of Kong, de Seth Gordon


Eu achava que levava a sério videogames quando era adolescente. Fazia campeonatos e disputava com obstinação jogos como Ninja Gaiden, Double Dragon, Pinbot e Mario Bross. Isso porque eu não conhecia os adultos que realmente levaram esse tipo de entretenimento às últimas conseqüências. No documentário The king of Kong, especificamente, somos testemunhas da disputa pelo título de melhor jogador de Donkey Kong do mundo.

Em 1982, Billy Mitchell, típico jovem estadunidense fanfarrão, ganhou as capas de revistas ao conseguir marcar mais de 600 mil pontos no jogo em que Mário precisa resgatar a princesa das mãos de um gorila enfurecido. Ao lado dos maiores pontuadores de outros arcades clássicos, como Missile Comander e Pac Man, ganhou certa notoriedade. Seu recorde permaneceu intacto até 2007, quando Steve Wiebe, um profesor de ciências de Washington comprou uma máquina de Donkey Kong, a instalou em sua garagem e ultrapassou a marca de 900 mil pontos. Era o que faltava para uma bela disputa, que conta até mesmo com um juiz de camisa listrada.

O que poderia ser apenas uma observação do bizarro acaba se tansformando em um fascinante argumento para um dos documentários mais simpáticos e originais dos últimos tempos. Não se trata apenas de bater um recorde, mas das artimanhas para manter o nome escrito no corredor da fama dos videogames. Ao longo do filme, vamos nos familiarizando com os jogadores. O vaidoso Billy, com seu próspero negócio de molhos especiais e uma esposa com enormes próteses de silicone contra Steve, um sujeito tipicamente interiorano e introspectivo, habilidoso também ao piano e na bateria.

Táticas, macetes, intrigas e manobras também fazem parte do mundo dos videogames!

14 comentários:

Cine Ôba! disse...

Muito interessante a temática do documentário, fiquei bastante curioso...

Eu já fiz vários campeonatos de Superstar soccer (Super Nitendo) em meados dos anos 90...ai que saudade.


Gustavo Madruga


PS: Cine Ôba Voltou!!!

Cine Carranca disse...

O unico video game que eu tive foi o Mega-driver 3.
e tive o Atari é claro!
hehehe.

mas Dudu, como vc diz que nao gostou do filme, se vc nunca viu?
"Não vi e não gostei!"

Abraços

Kamila disse...

Mas, que premissa mais original para um filme!!! Eu gosto de videogame, mas nunca levei esse hobby muito a sério. Prefiro jogar para me relaxar e divertir.

Vulgo Dudu disse...

Gustavo, imagine só um torneio de arcades clássicos em pleno ano de 2007? Vale a pena ver esse doc!

Carranca, esse pessoal do filme joga em arcades, tipo fliperama. Muito loucos! Quanto à frase, utilizei-a como corruptela da célebre "não li e não gostei", já de domínio popular.

Kamila, é muito original mesmo. No começo do filme, Billy diz que as pessoas tendem a achar que videogames foram feitos para entretenimento - e é aí que elas se enganam...

Bjs e abs, pessoal!

Rafael Carvalho disse...

Cara, desse muito curioso esse doc. Eu jogava muito videogame quando era pequeno, mas nunca mais peguei num joystick. E o filme eu também não vi.

Pedro Henrique disse...

Esse eu não conhecia...

Abraço!!!

A Especialista disse...

Nossa, eu me lembro desse jogo. ALiás, eu fui fã de games quando criança/adolescente, mas acho que perdi a habilidade. Vou mostrar pro meu irmão.
Ele, se desafiado, poderia tranquilamente entrar numa disputa dessas... a prova de que isso existe ainda na era dos emuladores, do wii, etc.

Muito bom, Dudu!!!

Luiz Mendes Junior disse...

Cara! Quantas horas fiquei na frente do PC para terminar Ninja Gaiden I, II e III!!!

Vulgo Dudu disse...

Rafael, pegamos a fase áurea dos videogames. Mas vendo o doc, é um mundo totalmente diferente do nosso. Os caras realmente levam aquilo a sério!

Pedro Henrique, vale a pena conhecer!

Dani, recomendo você e seu irmão verem o filme - e depois fazer uma disputa no videogame.

Luiz, Ninja Gaiden sempre foi o meu favorito! O II, na minha opinião, era o mais complicado... Aqueles cineminhas entre-fases eram muito fodas!

Bjs e abs!

Museu do Cinema disse...

Já ouvi falar muito bem desse filme, mas nunca me apareceu pela frente, prezado flamenguista!

Vulgo Dudu disse...

Cassiano, esse eeu precisei baixar. Não tem previsão de lançamento por aqui.

Quanto ao futebol, melhor não comentarmos, não é mesmo? rs...

Abs!

Museu do Cinema disse...

Claro que não Dudu, devemos sim comentar, afinal eu preciso saber como está a briga abaixo de mim, o problema da liderança, não paraguaia, é justamente essa, 9 pontos vc acaba perdendo a noção do resto, para mim o campeonato se encerra no Palmeiras.

Vulgo Dudu disse...

Malcriado...

Ramon disse...

Caramba, que obra curiosa! Acredito que não vou encontrar isso nas locadoras as quais tenho acesso, mas o dia que conseguir vou conferir sem pestanejar. Hilário o argumento do filme.

Ps.: Eu também jogava os jogos descritos por você. Mas um do que mais joguei foi Alex Kidd in Miracle World e Tartarugas Ninjas do Nintendo. hehe!

Abs!