quarta-feira, julho 30, 2008

#61 - Sweeney Todd: o barbeiro demoníaco da Rua Fleet (Sweeney Todd: the demon barber of Fleet Street), de Tim Burton


Tim Burton é um diretor que tem uma rubrica. Suas obras seguem um padrão dark, melancólico, obscuro, que favorece uma direção de arte sempre impecável. Tanto é que já foi premiado por isso algumas vezes. Porém, como escrevi na postagem anterior, não basta ter técnica, tem que ter conteúdo! E isso Burton tem de sobra...

Resultado: um filmaço! Por mais que os espectadores estejam carecas de saber que vão ver Johnny Depp de cara pálida interpretando um esquisitão e que o cenário será cinza chumbo, sem espaço para tons pastéis, Sweeney Todd: o barbeiro demoníaco da Rua Fleet é um deleite não só para olhos, mas para a alma. Belo no visual, contundente no argumento.

A história é baseada em um musical bem sucedido, que por sua vez é baseado na lenda de Sweeney Todd, nascido Benjamin Barker. Um barbeiro que, após voltar da clausura, separado da mulher e do filho por um juiz inescrupuloso, resolve se vingar usando seus instrumentos de trabalho: reluzentes e afiadas navalhas de prata. Para isso, conta com a ajuda de uma confeiteira falida, Mrs. Lovett. E dá-lhe sangue!

Johnny Depp e Helena Bonham Carter, devidamente maquiados no estilo neo-dark-realista, demonstram entrosamento perfeito. É o Casal 20 de Tim Burton. Desacostumados com a cantoria, ambos esticaram as cordas vocais em aulas intensivas e fizeram um excelente trabalho, concedendo ao diretor um primeiro musical brilhante para sua carreira. Um êxito que tem seus méritos não só pela estética, que preenche toda a tela, mas pelo roteiro ágil e bem enxugado.

Ao final da projeção, um dos meus desenhos preferidos não me saía da cabeça. Igualmente sádico, menos sanguinolento, porém genial. Aqui.

12 comentários:

Bel Clark disse...

Não vi, mas depois desse comentário "rasgação de seda" fiquei curiosa!!! hahahaha

bjssss

Rogerio disse...

Gostei bastante do filme. Porem tenho serias dificuldades em assistir Musicais. Simplesmente nao curto o estilo da narrativa.
Quando começava a cantoria, nao via a hora de acabar a sequencia.

No meu caso, podia ter menos cançoes, ou, nem ser musical afinal.

Wiliam Domingos disse...

Poh...
Um musical show e inédito pro Cinema! Roteiro ágil como você disse, um argumento tenso e indigesto...muito bom!
Abraço

Kamila disse...

Dudu, eu acho que "Sweeney Todd" é o trabalho mais maduro do Tim Burton. Como você bem disse, é um filme belo. Todo mundo fala do Johnny Depp e da Helena Bonham Carter, mas meu favorito do elenco foi o garotinho Ed Sanders. O menino é um achado!

E eu adoro "Pica-Pau"! Um dos meus desenhos favoritos!

Sérgio Déda disse...

Não gostei deste filme do Burton... acho talvez por não gostar muito de musicais.. e esse exagera na quantidade de músicas..

Pedro Henrique disse...

Filme bom. Direção de arte é a melhor coisa do filme. As canções é que não são legais.

Abraço!

jeff disse...

a primeira vez em que o assisti no cinema havia achado bem bom, mas não grande coisa. lembro-me que as canções criavam um ritmo não favorável ao filme - e mesmo eu que amo musicais, preferiria que não se utilizasse de músicas para contar a história.
recentemente, revi em DVD e gostei de verdade. =) hoje já acho-o um bom musical, com umas músicas até marcantes para mim [como 'my friends' e 'johanna']. mas o melhor do filme continua sendo o lado técnico. tim burton rulez!
e falar de depp e bonham carter é redundante.

adorei o blog e o visitarei mais vezes.
irei te linkar no meu para facilitar a visita, ok?

Rafael Carvalho disse...

Sai do cinema estasiado quando vi esse filme, mas à medida que o tempo foi passando, ele foi ficando mais difuso em minha mente. De qualquer forma, uma jóia da já excelente filmografia do Burton. E se tecnicamente o filme é impecáve, e o destaque maior tenha reaido sobre a dobradinha Bonham Carter/Johnny Depp, ótimos em cena, eu gosto muito da atuação do Alan Rickman. E o final é realmente sensacional.

Vulgo Dudu disse...

Bel, vale a pena. Se você quiser, deixo o DVD lá na web para você!

Rogerio, somos dois! Também não curto muito musicais. Mas achei o resto do filme tão bom, que nem me importei com a cantoria...

William, a história é realmente sensacional. Eu gosto bastante desses temas mórbidos. E ninguém como Burton para realizar obras assim com louvor.

Kamila, bem lembrado: o garotinho manda muito bem! E se aquela é mesmo a voz dele, o rapaz tem futuro... E quanto ao episódio do Pica-Pau, é o meu favorito! Melhor do que aquele em que ele desce o Niágara em um barril, lembra? rs...

Sérgio, eu também não curto musicais, mas confesso que nem prestei atenção nas músicas...

Pedro, concordo contigo. Acho até que Danny Elfman podia ter sido o escolhido para a trilha. Nos trabalhos anteriores com Burton ele mandou bem...

Jeff, seja bem-vindo por aquie obrigado pelo link. Quanto ao filme, é um filmão, mas não achei as músicas marcantes. Talvez porque, como disse aí em cima, não curta tanto musicais. Mas concordamos que Tim Burton rulez!

Rafael, Tim Burton é surpreendente. Eu acho o filme, como escrevi na resenha, um deleite para os olhos. O diretor sabe bem como encher a tela!

Pessoal, obrigado pelas visitas e comentário! Bjs e abs!

Kamila disse...

Me lembro desse episódio, Dudu!!!! rsrsrsrsrsrsrs

A Especialista disse...

Fechou o post com estilo, hein?!
E eu gosto muito do trabalho do Tim. Enfim, esse entrou pra lista dos filmes que preciso ver...

beijos!!!

Vulgo Dudu disse...

Kamila, os dois episódios podem ser encontrados no Youtube! Muito bom!

Dani, a gente se esforça ao máximo... hahahah!

Bjs, meninas!