quarta-feira, junho 18, 2008

#48 - Mondo Topless, de Russ Meyer


Enquanto uma moçoila de seios fartos e desnudos dirige seu carro pelas ladeiras de São Francisco, com muito balanço e pouco amortecimento, um narrador explana, entusiasticamente, mas muito entusiasticamente, a arquitetura da bela cidade da Costa Oeste estadunidense. Esse é o ponto de partida de Mondo Topless, documentário lascivo do mestre Russ Meyer que investiga o mundo de dançarinas desinibidas.

De Cisco para o globo, o filme traz à tela seios do mundo inteiro: Rússia, Alemanha, Suécia, França etc. Brasil? Não. Por aqui o negócio é bunda - e em Mondo Topless o negócio é peito. Tanto que, durante mais de uma hora, a estrutura narrativa não sofre quaisquer alterações.

As dançarinas comentam, em bg, sobre seus estilos de vida e a profissão. Falam um pouco de sexo também, é claro. Enquanto isso, mexem o corpo de forma exótica e efusiva, balançando o que têm para balançar, de um lado para o outro, para cima e para baixo, em uma espécie de rebolado peitoral. São seios de todos os tamanhos, cores e formatos. Novamente, o narrador entusiasmado vibra e pede a atenção do público.

"Eu duvido que você consiga se concentrar no que ela tem a dizer!"

Novamente, não se trata de pornografia. Russ Meyer dá um show de direção, com planos incríveis, estética bem cuidada, rock psicodélico e aquele bom humor ferino que é marca registrada do diretor.

6 comentários:

Rogerio disse...

Uauuu, que delicia!!!

Kamila disse...

O filme parece ser um documentário bem engraçado!

Pedro Henrique disse...

Quer dizer que não gosta do Spielberg? Bom, não sou fã como sou de Woddy Allen e dos Coen, mas gosto dos trabalhos dele.

Ainda não vi o filme, mas é interessante pelo que parece.

Abraço, Dudu!

Vulgo Dudu disse...

Rogério, até o nome das dançarinas são deliciosos: Yummi, Tasty etc.

Kamila, Russ Meyer é sempre escrachado. É o pornô light que os nossos pais viam. Nada de hardcore.

Pedro Henrique, eu não gosto do Spielberg. Ele sabe fazer cinema, óbvio. Mas o acho um vendido. Ainda mais depois de ver o depoimento dele em "Quarto 666", do Wenders.

Bjs e abs!

Sérgio Déda disse...

Nunca assisti a esse filme, mas parece ser bem atrativo neh.. rsrsrs.. vou procurar conferir..

Estou de volta a ativa dps de um certo tempo ausente...

vlws

Vulgo Dudu disse...

Sérgio, é de fato bem atrativo... rs...

Abs!