quinta-feira, maio 08, 2008

#38 - Tokyo Ga, de Wim Wenders


Assistir a um filme de Wenders é sempre um convite à reflexão cinematográfica. Sempre. Seja uma obra de ficção ou um documentário, como em Tokyo Ga, o cinema é minuciosamente dissecado pela câmera caprichada de um dos maiores realizadores do nosso tempo.

Aqui, o diretor ruma a Tokyo para tentar encontrar a cidade que o cineasta nipônico Yasujiro Ozu retratava em seus filmes pós-Segunda Guerra Mundial. Sempre crítico e irônico, Ozu mostrava com detalhes a decadência da família japonesa, que cada vez mais cedia aos encantos ocidentais e burgueses. A perda da identidade era sempre o ponto principal dos roteiros, filmados com técnicas dignas da escola japonesa, lentamente, próximo à perfeição, quase como uma resistência cultural e ideológica.

Tokyo Ga funciona mais como uma homenagem de Wenders a um de seus grandes influenciadores. Em uma Tokyo moderna, tomada por arranha-céus e claustrofóbicamente urbanizada, sua câmera continua a buscar, só que de forma documentacional, o que Ozu propunha: a tal substituição dos conceitos e valores por um way of life americanizado. Japoneses jogam golfe sem pôr a bola no buraco, dançam o twist da década de 50 e se vestem como os Beach Boys em plena praça pública.

A grife de Wenders se faz sentir em cada fotograma. Para aumentar a noção de ocidentalização, o diretor filma Tokyo como se fosse Nova York. Em plena madrugada, luzes, painéis eletrônicos, asfalto molhado, trens, linhas de transmissão e táxis formam um denso painel cosmopolita, com uma trilha sonora que lembra muito o som do Morphine* - excelente e lendária banda que tem a cara da Big Apple underground.

Fundamental para quem leva o cinema às últimas conseqüências.


*Ecute "The Night" e você vai entender o que quero dizer.

4 comentários:

Kamila disse...

Dudu, já comentei aqui que não conheço muito do cinema de Wim Wenders e, mais relacionado ao post de hoje, não conheço quase nada de Yasujiro Ozu. No entanto, seu texto me deixou muito curiosa para assistir a este filme. Adorei a proposta da obra!

Pedro Henrique disse...

Filme interessante com uma fotografia muito bonita.

Dar-lhe-ia um 7.8.

Abraço!

Rogerio disse...

Bah Dudu, nunca ouvi falar desse diretor.Vc tem um repertorio de filmes muito dificeis de achar hein, oq eh uma pena pra mim, pois as resenhas sobre eles soh me botam curiosidade.
Abs!!

Vulgo Dudu disse...

Kamila, é um grande filme, que aborda vários temas ligados à Teoria da Imagem - assunto instigante para quem gosta de cinema. Eu recomendo! E tenho certeza que, uma vez que você entre em contato mais profundamente com a obra do Wenders, vai virar fã de carteirinha!

Pedro, eu daria 10... rs... A fotografia é linda, ainda mais quando quem fotografa entende do assunto.

Rogerio, os filmes são difíceis de achar em locadoras, é verdade. Mas eu os consigo baixando mesmo. Até mesmo porque alguns deles nem foram lançados no Brasil. Mas este, por exemplo, faz parte de uma coletânea que lançou alguns docs do Wenders. Se desse, eu juro que te emprestava... rs...

Bjs e abs!