domingo, maio 04, 2008

#37 - Conduta de risco (Michael Clayton), de Tony Gilroy


Vem estampado na capa do DVD alguns dizeres que, ao menos eles pensam assim, garantem que o filme é bom. Pode confiar: sete indicações ao Oscar; bonequinho do jornal aplaudindo; cinco estrelas. Nada disso me seduz. Tanto é que o filme me foi emprestado pelo meu irmão. Ao perguntá-lo se havia gostado ou não, a resposta foi precisa:

"Eu dormi em algumas partes, mas a minha namorada gostou."

É preciso falar do texto. Eu entendo que muita gente tenha dormido em Conduta de risco, incluindo meu irmão, pois trata-se de um roteiro que basicamente se firma através dos diálogos, e não das imagens - apesar da fotografia caprichada. Se eu não gostei do filme, e admito aqui neste parágrafo, foi porque achei o texto muito fraco, aliado a um argumento monótono e corriqueiro.

Conta-se a seguinte história: Michael Calyton é o sujeito que "ajeita" os casos de seus clientes para que eles fujam da "verdade" e sejam absolvidos de seus crimes. E a ordem de grandeza de seu trabalho varia da mais risível às mais complicadas situações. Ele se vê em uma encruzilhada quando precisa defender uma empresa que comercializa um herbicida que já fez mais de 400 vítimas e está sendo processada por uma jovem interiorana.

Porém, justiça seja feita: George Clooney é um excelente ator. Já provou várias vezes que está no hall dos grandes. Sua atuação em Conduta de Risco, que lhe rendeu uma indicação ao prêmio, não compromete, mas é insatisfatória. Não há nada ali que a torne grandiosa ou diferenciada. O resto do elenco vai pelo mesmo caminho, já que o texto, insisto nisso, é fraco demais.

O filme é chato, dura quase duas enfadonhas horas, mas o assisti até o fim. E confesso que ele começa a ficar bacana nos 15 minutos que antecedem os 15 minutos finais. Ou seja, tarde demais. Durante o desfecho, me senti completamente enganado, ludibriado pelo apelo das grandes e milionárias produções estadunidenses.

Definitivamente, não faz meu tipo.

10 comentários:

Kamila disse...

Finalmente, alguém que concorda comigo!!! Acho que "Conduta de Risco" é o filme mais superestimado de 2007. Todas as suas impressões são iguais às minhas. Só discordamos num ponto: George Clooney. Acho que a atuação dele neste filme é até comum. Tilda Swinton foi a que eu mais gostei do elenco.

Pedro Henrique disse...

Não sei como esse filme roubou o lugar que era de "Na Natureza Selvagem" no Oscar esse ano.
Também não me agradou!

Cecilia Barroso disse...

Eu achei o filme lento demais, mas interpretei como uma nova abordagem do estilo de vida apático adotado pelo protagonista.
Também gostei de Clooney, que faz competentemente um homem que já não tem mais o que fazer da vida, a não ser acordar e dormir todos os dias.
Wilkinson também está excelente como o advogado bipolar.
Achei interessante.

Vulgo Dudu disse...

Kamila, concordamos que é um filmeco de araque... rs...

Pedro Henrique, eu não vi o Na natureza selvagem, mas com certeza o lugar dele foi roubado - não pode ser pior do que Conduta de risco.

Cecilia, eu acho que tá mais para monotonia do que para novo estilo de abordagem... Não sei por que Clooney perde tempo com essas bobagens.

Obrigado pelas visitas! Voltem sempre.

Bjs e abs!

Museu do Cinema disse...

Nossa, filmeco? Longe disso, muito longe!

Rogerio disse...

Entao Dudu, achei o filme bom , mas aquela enxurrada de informaçoes e historias paralelas no inicio, me confundiram um pouco. Justamente pelo que vc falou, o texto e nao as imagens.
Como disse o Pedro, creio que Na Natureza Selvagem" seria uma melhjor representaçao no Oscar.

Falows

Rafael Carvalho disse...

Também não consigo entender como esse filme fez tanto sucesso ano passado, muita gente falando bem e todas aquelas indicações. Não chega a ser ruim, é um filme mediano com uma história interessante. George Clooney está bem, mas só. Quem surpreende no elenco e a Tilda Swinton, essa sim maravilhosa. Tom Wilkinson cai no exagero.

Vulgo Dudu disse...

Cassiano, na minha opinião, filmeco!

Rogerio, é um filme que se apóia completamente no texto. Ou seja, para ser bom, o texto tem que ser muito bom. Não é o caso...

Rafael, nem a história eu achei interessante. É um fime muito frustrante.

Abs, pessoal!

Louis Vidovix disse...

Definitivamente não gostei do filme! Além de ser um tédio, é desinteressante, mais do mesmo e superestimado. Do elogiado elenco, só se salva Tilda.

Aliás, gostaria de recomendar um novo blog sobre filmes e séries que estou abrindo com alguns amigos.

http://cinefilando.blogspot.com/

Já relacionei seu blog a ele! :)

Fica aí a dica!

Vulgo Dudu disse...

Louis, seja bem-vindo por aqui. Vou lá conferir os escritos de vocês!

Abs.