terça-feira, abril 22, 2008

#30 - Talladega nights: the ballad of Ricky Bobby, de Adam McKay


Segundo os produtores desta comédia, o argumento para vender Talladega nights: the ballad of Ricky Bobby foi muito simples: Will Ferrell como um piloto da NASCAR. De fato, desperta aquela curiosidade - que é mais atiçada ainda com a presença de Sacha Baron Cohen.

Pois trata-se de uma comédia rasgada, cheia de situações politicamente incorretas, com piadas sujas e inflada daquele velho ufanismo estadunidense, aqui cruelmente exacerbado. O resultado, portanto, é ótimo. A caracterização de Will Ferrell como o piloto Ricky Bobby é perfeita. Narcisista, impulsivo, egocêntrico e idolatrado, ele se vê em apuros quando o genial Sacha Baron Cohen entra em cena (e a rouba também) como um piloto francês, gay, existencialista e casado com um adestrador de pastores alemães, que mudou da Fórmula 1 para a NASCAR exclusivamente para derrotá-lo.

Na parte técnica, nem precisava, mas o filme até que é bem montado. As cenas de corrida recriam com perfeição as competições oficiais. A trilha sonora é bem escolhida e combina com a velocidade que o tema propõe. A direção não teve lá grandes desafios, uma vez que o trabalho foi facilitado pela presença de dois comediantes que têm no improviso o ponto forte.

Porém, Ferrell e Coen à parte, quem dá um show são os dois filhos mimados e desbocados de Ricky Bobby: Walker e Texas Ranger, os pequenos atores Houston Tumlin e Grayson Russell. Os moleques são responsáveis pelas melhores cenas, onde soltam impropérios e xingamentos divertidíssimos. Inclusive, nos extras, há um capítulo especialmente destinado aos improvisos dos dois. É de chorar de rir!

Um filme sobre velocidade que é também uma diversão ligeira.

3 comentários:

Surfista disse...

Cara, aos poucos Will Ferrel vai assumindo o posto de comediante mais inteligente do início do século XXI. Seus filmes são escrachados, mas críticos e ferozes. Ele encarna personagens caricatos, mas que se tornam únicos. "Ricky Bobby" é excelente pelo Ferrel e pelo Borat, quer dizer, Baron Cohen.

Os diálogos ácidos e chulos, as alfinetadas na american way of life, a sacanagem com os europeus... tudo é muito divertido. Acho uma das melhores comédias dos últimos anos.

Kamila disse...

Esse filme é ótimo! Sacha Baron Cohen rouba a cena e os dois garotinhos são ótimos mesmo! O Will Ferrell é quase um especialista nesses filmes de sátiras aos esportes.

A única coisa que eu não gostei foi o desperdício da Amy Adams. Ela é melhor que o pequeno papel que teve.

Vulgo Dudu disse...

Dougra, assino embaixo! Eu acho o Baron Cohen sensacional... Ele é a reencarnação daquele humor do Monty Phyton.

Kamila, eu não conheço outros trabalhos dessa Amy Adams. Mas gostei dela nesse filme.

Bjs e abs!