terça-feira, abril 15, 2008

#29 - Bully, de Larry Clark


O diretor - e fotógrafo também - Larry Clark ficou famoso por seus filmes envolvendo violência, sexo, drogas e protagonistas com idade inferior à classificação indicativa de suas próprias obras. Com uma estética violenta e perturbadora, ganhou notoriedade e chocou o mundo com o bom Kids, seu primeiro trabalho cinematográfico, espinafrado pela crítica, mas bem recebido por um público mais seleto. Bully, em sua forma, é quase similar ao seu filme de estréia. O problema é que a fórmula parece já não funcionar mais tão bem assim.

Com um roteiro muito fraco e mais esburaco que rodovia federal, o filme conta como jovens planejaram a morte de um "valentão" (bully, em inglês) que infernizava suas vidas. Idealizado pela namorada de um dos garotos mais humilhados, o plano envolve vários adolescentes típicos das produções de Clark: viciados em drogas, ninfomaníacos, com distúrbios comportamentais e sem qualquer direção.

Apesar de serem baseados em fatos reais, os conflitos mostrados em Bully são rasos e comedidos. Falha na roteirização. As atuações não rendem boas seqüências, com um elenco muito fraco. Falha na direção. Falta coesão no argumento, que às vezes parece meio preguiçoso. Falha na montagem.

Era de se esperar muito mais de Larry Clark.

12 comentários:

Surfista disse...

Não tenho muito saco para o Larry Clark. Parece um velho tarado querendo alguns peitinhos adolescentes. Mas não achei "Bully" horroroso. Na verdade, achei até interessante pelo seu clima perturbador (concordo com a superficialidade que você mencionou). Mas nada que mudasse minha vida.

Célio disse...

Se você achou "Bully" fraco, nem chegue perto de "Ken Park". Parece que o objetivo de Larry Clark é chocar pelo chocar usando adolescentes (ou atores que se parecem como tais) para mostrar perversões do americano médio. Mas o esquema adotado por ele é ruim de doer.

Vulgo Dudu disse...

Dougra, é superficial demais. Podia ter cutucado mais a ferida, como em Kids.

Célio, eu não gostei de Ken Park, mas não por causa do chocar por chocar, do excesso de sexo, nudez e drogas - foi porque a fórmula já estava esgotada, como também se mostra esgotada em Bully. O problema é que eu esperava bem mais...

Abs!

Museu do Cinema disse...

Os filmes do Larry Clark são tão densos quanto uma bandeja, esperar mais dele significa pornografia melhor, como alias foi seu segundo filme, KEN PARK.

Essa coisa de explorar o tema "adolescentes norte-americanos marginalizados e marginais", que o Van Sant e o Clark estão enchendo a burra de dinheiro, tá mais do que saturado, sem falar que nenhuma obra importante foi produzida.

Kamila disse...

O Cassiano está certo. O Van Sant, por exemplo, em suas últimas obras, tenta compreender a adolescência. Acho que ele foi feliz em "Elefante" e "Paranoid Park".

Do Larry Clark, só conheço mesmo "Kids". E acho um filme bem agoniante. Devo conferir esse "Bully" e, quem sabe, "Ken Park".

Ramon Scheidemantel disse...

Que pena, eu queria ver um filme do nível de Kids!

Vale pelo advertência... vou passar longe.

Surfista disse...

Analisando melhor, "Bully" só me chamou a atenção por ser a adaptação de um crime real envolvendo adolescentes tarados (fetiche do Clark). Fora isso, é uma porcaria sem atrativos mesmo.

luiz disse...

Cara, manda a história o mais rápido possível para

brocaliteraria@gmail.com

Não esquece

Vulgo Dudu disse...

Cassiano, eu acho que existe um abismo entre Van Sant e Clark. Não dá nem pra partida... Mas eu gosto de Kids, acho que foi um filme de certa relevância naquela época. Concordo que o Clark saturou, mas acho que o Van Sant vai bem!

Kamila, não espere muita coisas dos outros filmes de Clark. Mas ter repertório é sempre positivo.

Ramon, deve ter coisa melhor para ver... rs...

Dougra, eu li que mudaram muita coisa da história original. Normal, né? Mas por isso acho que o argumento podia ter rendido mais. Pena ter ficado na tal superficialidade que já comentamos.

Mendes, já mandei!

Bje a abs, pessoal!

Wiliam Domingos disse...

Em Ken Park ele está bem sim...não ótimo, mas consegue traçar uma estética e sentido interessante! Mas não aprofunda sabe...deixa raso!
Bully não vi ainda, mas pretendo mesmo com as falhas ditas!
Abraço

Vulgo Dudu disse...

William, é isso aí. Tire suas conclusões. Eu insisto, aqui, que Kids é um grande filme! Diferente do que era feito na época sobre o assunto.

Abs!

Anônimo disse...

Enfim um cineasta corajoso aparece com imagens reais, sem o falso puritanismo dos demais,e já é alvo de críticas de quem defende demagogia de cenas apenas insinuadas.São os mesmos que acham inofensivas as inúmeras cenas de violência, e consumo de drogas e alcool misturados a sangue e palavrôes,mas condenam viemente uma nudez frontal ou sexo real.Haja paciência!