sábado, fevereiro 02, 2008

#7 - A culpa é do Fidel (La Faute à Fidel!), de Julie Gavras


Filha de peixe, peixinha é? Julie Gavras carrega não só o sobrenome do pai, mas também a construção de um cinema voltado para questões políticas e sociais. Em seu segundo trabalho como diretora, o primeiro a ganhar notoriedade, fica claro que o caminho a ser trilhado é quase igual ao do pai.

Em "A culpa é do Fidel", Anna de la Mesa, uma menina de nove anos, enfrenta as mudanças pelas quais sua família é obrigada a passar após os pais se envolverem com questões políticas. No caso, o governo de Salvador Allende no Chile, evento largamente abordado com maestria por Gavras-pai em "Desaparecido". Logo, a pequena Anna vê a casa cheia de barbudos, é obrigada a sair da aula de catecismo e passa a temer os "comunistas", que expulsaram sua empregada de Cuba e querem, segundo sua avó, roubar seus brinquedos para dá-los a outras crianças.

Não é a primeira vez que o olhar infantil se torna o guia e a lente para criar um universo ingênuo em torno de questões políticas. Porém, Gavras-filha demonstra segurança e sensibilidade, fazendo um filme divertido, sim, mas extremamente dramático e comovente, que trata não só da opção partidária, mas do enfrentamento das mudanças e o que elas acarretam na vida de qualquer um.

Nina Kervel-Bey, atriz que interpreta Anna, é simplesmente sensacional! Semblante fechado, ar blasé, sorriso duro. Junto ao seu irmão menor, François de la Mesa, interpretado pelo minúsculo Benjamin Feuillet, a dupla rende bons momentos.

Fica a vontade de saber como Julie Gavras se sairia em um filme com temática atual, sobre conflitos contemporâneos. Longe de ser panfletário, o que "A culpa é do Fidel" faz é uma singela homenagem, de filha para pai, pela bagagem cinematográfica e humana adquirida.

Nenhum comentário: