quarta-feira, fevereiro 13, 2008

#13 - Permanent vacation, de Jim Jarmusch


Para entender melhor a filmografia de um bom diretor, nada melhor do que conferir o primeiro trabalho. No caso de Jarmusch, cineasta por profissão, e não por acaso, Permanent vacation ilustra muito bem o que se passava por aquela cabeça de cabelos grisalhos e despenteados.

Originalmente, o filme era um curta-metragem com pouco mais de 30 minutos de duração, feito como trabalho final da cadeira de cinema da cultuada New York University. Com um punhado de dólares na mão e algumas idéias na cabeça, foi fácil estendê-lo por mais uns 50 minutinhos. O resultado é surpreendente.

Quem não gosta do cinema de Jarmusch vai achar muitos predicados depreciativos para rotular o filme: chato, parado, louco, nonsense etc. E aquela velha reclamação de que nada acontece. É filme cabeça, de fato. Mais do que isso: lá em 1980, em seu debut, Jarmusch já era cool. Portanto, não é programa indicado para os que não entendem o final de filmes que não têm necessariamente um início ou um meio.

O próprio Jarmusch já dizia que, se a vida não tem um enredo, o cinema e a ficção também não precisam do mesmo. Em Permanent vacation, essa idéia, que norteia toda a obra do cineasta, fica muito clara e é exercitada à exaustão. O roteiro é simples: um homem cansado da vida que leva abre mão de tudo e tenta se livrar da cidade e do peso da vida contemporânea. Numa espécie de "férias permanentes", durante sua jornada ele cruza com tipos estranhos, tem diálogos reveladores e percorre uma Nova York arrasada, esquecida e desprezada - o verdadeiro underground. Já no primeiro filme, Jarmusch mostra habilidade na montagem, na trilha sonora (com John Lurie) e na fotografia repleta de referências.

Um filme exclusivamente de arte.

14 comentários:

Museu do Cinema disse...

É a mais pura verdade Dudu, o primeiro realmente fala muito a respeito do cineasta.

Kamila disse...

Dudu, tenho tantas restrições em relação ao rótulo de "filmes de arte". São poucos os filmes que se encaixam nessa descrição que são do meu agrado.

Felipe Nobrega disse...

Vontade e gosto por Jim não me faltam, o problema é como sonseguir esse seu primeiro material...
falow!

Vulgo Dudu disse...

Cassiano, pois é! E esse filme mostra que realmente o cara já tinha estilo próprio.

Kamila, na minha opinião, cinema pode ser encarado como entretenimento e também como arte, já que a técnica empregada possibilita um conveito artístico. Eu aprendi a curtir os dois! Jarmusch é bem diferente. Comece por uma mais light, como "Cafés e cigarros". E depois, parta para um "Down by law". É muito bom!

Felipe, eu baixei pelo Bit Comet. IÉ realmente ipossível achar esse filme em DVD...

Obrigado pelas visitas, povo! Bjs e abs!

Kamila disse...

Dudu, já assisti "Cafés e Cigarros". Tem um formato bem mais leve, com aquelas histórias curtas. É interessante.

B. disse...

eu confundo os jarmusches...
esse é o da prima que aparece do nada pra morar com o john lurie?

Vulgo Dudu disse...

b, o que a prima aparece para morar com lurie é Estranhos no Paraíso (Stranger than paradise), que é excelente!

Obrigado pela visita e volte sempre. Abs!

Hugo disse...

Sou fã da obra de Jarmusch,seu estilo é realmente diferente, a pessoa tem que entrar no clima de seus filmes.

Agora este filme foi lançado em DVD por aqui?

Gostei do seu blog, se aceitar incluo seu link no meu blog.

http://cinema-filmeseseriados.blogspot.com

Abraço.

Vulgo Dudu disse...

Hugo, Jarmusch realmente só interessa a quem quer ver um cinema com olhos experimentais - coisa que não é lá muito comum e, ainda assim, é prefeitamente compreensível.

Infelizmente, Permanent Vacation não foi lançado por aqui. É difícil até mesmo achá-lo em área 1. Porém, graças a deus e ao avanço da tecnologia, nós temos banda larga e torrents, não é mesmo?

Obrigado pela visita, volte sempre, abs!

Anônimo disse...

Vou falar a verdade: é um filme de MERDA! Comprei-o, já conhecendo os predicados associados ao diretor Jarmush. Ao asssitir, aguentei nem meia hora. Sejamos honestos, a impressão que me deu foi de um trabalho amador, feito por um cara que "precisava fazer um longa". Ao pesquisar no google sobre este filme me deparei com este blog, e a confirmação, é um filme "esticado" mesmo. Cara, que dureza! Trilha e áudio pobres, uso ridículo de lente zoom. Simplismente precário, chato e nem um pouco criativo. Mas claro, não nego, é filme para meia dezena de pessoas assistirem e se considerarem "superiores" enaltecendo qualidades pífias de um filme RUIM!

Vulgo Dudu disse...

Anônimo, quanto ódio no coração! rs...

Como eu sempre costumo repetir: cinema é que nem traseiro, cada um tem o seu. E aqui, como você acha o filme uma merda, isso é praticamente literal. Definitivamente, Jarmusch não faz parte do seu cinema. Nenhum problema.

Eu, que acho o diretor o máximo, a ponto de ser um dos meus prediletos, enxergo em Permanent Vacation o exercício cinematográfico pelo qual o cara precisou passar até chegar em obras-primas - e aí não é o discurso de meia dezena de pessoas que se consideram superioras - como Estranhos no paraíso e Down by law.

Nem sempre é preciso usar o zoom fantasticamente e nem trilhas de aúdio vibrante para se fazer um bom filme. Não mesmo!

Fernando disse...

esticado pra mim é rabo de lagartixa...


ou senhor dos anéis. q eu sim-ples-men-te fui ver no cinema e dpois de meia hora ignorei completamente as legendas e fiquei comeno os doces e salgados e tomando min ha água q eu comprei e volta e meia tirando um coxilo, volta e meia abrindo o olho pra ver a qtas andava o filme.

mas esse filme de estréia do jarmusch(vi-o-o hj a tarde ) passou num piscar de olhos. mto bom, mto bom mesmo. filme pra assistir e SE ACHAR superior é amelie poulan, 8 e 1/2 do fellini, closer. tds tãaooo chatinhos e intermináveis

ps: amelie poulan (não vi e não gostei).

bem, mês q vem tem um novo do jarmusch. e verei. pena q já se passou tanto tempo e o chris parker , ator q ele usou de ator principal nos 1os filmes, não seja mais jovem. gostei tanto dele...
e daquele ator q faz o turista francezinho no final do filme.

e sim, adoro mto, filmes q mostram lugares destruídos e insólitos , inóspitos da cidade

Fernando disse...

.....esse é bem meu tipo de filme....


e vasculhei o blog e voltei pra cá.

Luana Vignon disse...

Gosto muito do Jarmush e considero fundamental assistir o primeiro filme de um diretor. Permanent Vacation traz o germe da personalidade cinematográfica, já tem a "pegada" do diretor, mas uma coisa ficou evidente pra mim: trata-se de um filme feito por um estudante de cinema, com uma certa arrogância e inexperiência; o roteiro é insípido, mas mesmo assim é um filme que deve ser visto como "conjunto da obra". Abraço.