domingo, novembro 11, 2007

#82 - Farrapo humano (The lost weekend), de Billy Wilder


Muita gente achou que Billy Wilder havia perdido o juízo quando, em 1945, decidiu lançar um filme que falava sobre os malefícios causados pela bebida em excesso. Muitos foram os lobistas, os críticos e os profetas que tentaram convencer o diretor a sumir com os fotogramas, alegando que esta obra seria o fim de sua carreira.

Quebraram a cara!

Wilder enfrentou pressões da indústria de bebidas e de grupos conservadores e executou com a maestria de sempre "Farrapo humano", que mostra um fim de semana destrutivo na vida de um escritor viciado em álcool. Ray Milland, o humano esfarrapado, também enfrentou forte resistência de terceiros em interpretar esse papel. E, mais uma vez, todos quebraram a cara. O ator ganhou um Oscar por seu minucioso trabalho - o qual incluiu um laboratório de alguns dias em uma espécie de hospital misturado com manicômio para alcoólatras.

As cenas dos delírios causados pela droga são espetaculares. A trilha sonora é fantasmagórica, a edição é ligeira e a imersão é total. O impacto dessas seqüências é realmente impressionante. Fica fácil perceber que a estrutura narrativa que Wilder utilizou serviria de pilar para muitas obras contemporâneas que exploraram o tema, como "Trainspotting" e "Réquiem para um sonho", que retratam tão bem o perturbador mundo do vício.

Por se tratar de Billy Wilder, esperava um desfecho mais contundente. Porém, que essa seja a única ressalva.

8 comentários:

Felipe Nobrega disse...

Esta aí um filme que quero muito ver mas não consigo achar na minha cidade.

Kamila disse...

AMO "Farrapo Humano", assim como qualquer outra obra do Billy Wilder. A atuação do Ray Milland é ótima e o filme é completamente verdadeiro ao apresentar o conflito daqueles que convivem com o alcoolismo.

Surfista disse...

Do Billy Wilder, eu adoro "Quanto mais quente melhor".

Ah, gostaria de ler suas obeservações sobre "Pequena Miss Shunshine", que vi recentemente e adorei.

Aliás, finalmente vi "A Doce Vida", e quer saber? Não me comovi.

Ramon Scheidemantel disse...

Não conheço essa obra. Mas a partir de agora será prioridade. Agora, cá entre nós, que título besta ficou a versão em português, hein! Deve ter sido feita por alguém do SBT. hehe!

Ramon Scheidemantel disse...

Se bem que na época nem existia SBT. hehe!

Louis Alien disse...

interessante... já tinha visto há aaaanos... vou procurar novamente.

:: Daniel :: disse...

Vi na época da faculdade. Foi o segundo do Wilder que eu vi, depois do engraçadíssimo "Quanto mais quente melhor". Mas do Wilder eu guardo sempre "Crepúsculo dos Deuses". Perfeito é pouco.

Abs!!

Rafael Carvalho disse...

Billy Wilder é quase uma incógnita pra mim, eu só assisti a um filme dele, A Montanha dos Sete Abutres, com o qual fiquei muito satisfeito. Já ouvi falar desse Farrapo Humano, mas preciso urgentemente descobrir o cinema do cara.